Mensagens

Mais uma rola-turca devolvida à Natureza

Imagem
Esta rola-turca (Streptotelia decaocto) foi encontrada imóvel no concelho de Silves, e transportada por Vigilantes da Natureza até ao RIAS.
Durante o exame físico, a equipa veterinária observou hematomas por todo o corpo e asas, resultantes, possivelmente, do embate contra alguma estrutura. Tendo ficado um pouco desorientada, precisou de repouso e que lhe fosse disponibilizada alimentação adequada para ganhar novamente forças. Foi então colocada numa instalação exterior juntamente com outros passeriformes.
Cerca de duas semanas mais tarde, e totalmente recuperada, foi devolvida à Natureza pela nossa voluntária Fabienne.




Três crias de gavião-da-Europa ingressaram no RIAS

No final do mês passado ingressaram no RIAS três crias de gavião-da-Europa (Accipiter nisus), uma das mais pequenas aves de rapina da nossa avifauna.

Estas pequenas crias foram encontradas no concelho de Beja por um particular, que rapidamente contactou as autoridades competentes, e que procederam ao transporte das aves até nós.

Durante o exame físico, não foram encontradas lesões físicas, e por isso, o processo de recuperação inclui uma alimentação adequada e fisioterapia, para que ganhem, com o tempo, força muscular.



Atualmente já se encontram em instalações exteriores, as quais foram adaptadas com folhagem e ramos, dada a preferência da espécie por habitats de floresta densa. O enriquecimento ambiental no processo de recuperação de um animal é essencial para o seu bem-estar.



Cinco mochos-galegos de volta à natureza

No início do mês de Julho foram devolvidos à Natureza cinco mochos-galegos (Athene noctua). 

Quatro destas aves ingressaram por queda de ninho, o que significa que poderiam estar a iniciar-se nos primeiros voos, e acabaram por ficar no solo, ainda incapazes de voar. Sem lesões físicas aparentes, e como é protocolo, deu-se início ao processo de recuperação onde se incluiu uma alimentação apropriada, treinos de voo e, posteriormente de caça.

O quinto mocho, por sua vez, apresentava sinais de trauma, possivelmente causados pelo embate com alguma estrutura. Feita a limpeza dos ferimentos, ficou em recuperação no internamento do RIAS, para ser vigiado de perto. Sem contratempos, no espaço de uma semana foi transferido para instalações exteriores, onde, juntamente com outros mochos, também ele iniciou os treinos de voo e caça.

O último passo no processo de todas estas pequenas e adoráveis aves de rapina, foi a sua devolução à Natureza!