EQUIPA

Fábia Azevedo | Coordenadora


Licenciada em Biologia pela Universidade de Aveiro em 2007, realizou o estágio de fim de curso no Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens (CERVAS), em Gouveia. Desempenhou funções de bióloga e de coordenação de ações de educação ambiental durante um estágio profissional na Associação ALDEIA, em Vimioso, tendo ainda colaborado no projecto Plano de Emergência para a Recuperação de Aves Rupícolas (PEAR) no Parque Natural do Douro Internacional. Assumiu a coordenação do Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens (RIAS) no Parque Natural da Ria Formosa, em Olhão, desde maio de 2009, tendo colaborado com inúmeros projetos científicos e de educação ambiental, dentre os quais se destaca o projeto LIFE Trachemys (LIFE09 NAT/ES/000529).

María Casero | Diretora clínica


Licenciada em Medicina Veterinária pela Universidade de Murcia (Espanha) em 2012. Realizou o curso académico 2010/2011 na Universidade de Las Palmas de Gran Canaria (Espanha), e ali se iniciou na recuperação de fauna selvagem no Centro de Recuperación de Fauna Silvestre de Tafira y Taliarte. Em 2012 chegou ao RIAS como voluntária, onde ficou até 2014, ano em que foi veterinária da equipa de arrojamentos do Sul de Portugal no âmbito do projeto "Cetáceos como organismos sentinelas da saúde do meio marinho". Desde 2015 é diretora clínica do RIAS, combinando o seu trabalho com a realização de um mestrado em Conservação da Biodiversidade na Universidade de Huelva (Espanha).

Moisés Corvo Romero | Reabilitação


Formou-se em Auxiliar de Veterinária, no Centro de Formação Técnica de Tierra de Barros (Espanha), e em Estudos Superiores do Meio Natural, no Centro de Formação do Meio Rural de Navalmoral de la Mata (Espanha), após trabalhar quatro anos como voluntário no Centro de Recuperación de Fauna Salvaje da Associación por el Mundo Salvaje (AMUS). Durante esse período realizou uma grande variedade de tarefas, entre as quais tratamento de crias, reabilitação de animais, apoio à enfermaria, e educação ambiental, ao mesmo tempo que reuniu conhecimentos de identificação e aplicação de boas práticas de biomedicina em fauna selvagem. Em 2017, começou a trabalhar no RIAS como responsável pelo tratamento de crias, sendo atualmente o responsável pela reabilitação dos animais ingressados.

Thijs Valkenburg | Marcação e seguimento de animais & monitorização ambiental


Formou-se como Técnico Ambiental e Florestal na escola profissional MBCS-Velp, em Arnhem, Holanda. Realizou vários estágios curriculares com avifauna, colaborando com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) nos Açores, através do projeto LIFE Priolo (LIFE03 NAT/P/000013), e na Madeira, através do projeto LIFE SOS Freira do Bugio (LIFE06 NAT/P/000184), e também na Holanda, com o Centro de Estudos para a Avifauna Holandesa (SOVON). Tem contribuído para diversos projetos científicos, incluindo os projetos Arenaria, LIFE Ilhas santuário para as aves marinhas (LIFE07 NAT/P/000649), Atlas das Aves Nidificantes em Portugal Continental, e Atlas das Aves Invernantes e Migradoras. É anilhador credenciado pelo ICNF e pela Vogelstrekstation (Holanda) e, desde 2011, realiza a marcação e seguimento de animais no RIAS.

António Cotão | Monitorização ambiental


Licenciado em Biologia pela Universidade do Algarve em 2012. Integrou a equipa do RIAS imediatamente após a conclusão do curso, inicialmente como voluntário durante 6 meses, apoiando o centro na manutenção de estruturas, alimentação e tratamento diário de animais. Realizou depois um estágio profissional no qual colaborou no diagnóstico de causas de morte de animais ingressados e em várias ações do projeto LIFE Trachemys (LIFE09 NAT/ES/000529), assumindo posteriormente as tarefas de reabilitação dos animais em recuperação. Desde 2015, tem estado envolvido em diversos projetos aos quais o RIAS presta assessoria técnica, sendo atualmente responsável por estudos de impacto ambiental, acompanhamento e monitorização de avifauna realizados para várias entidades, entre as quais se destaca a construção da nova ETAR Faro – Olhão.

Sofia Costa | Gestão e Recursos Humanos



A Sofia é Mestre em Economia do Turismo e Desenvolvimento Regional e iniciou o seu percurso no RIAS durante o estágio de final de Licenciatura em Ecoturismo, onde desenvolveu o Centro de Interpretação Ambiental (CIA). Em 2013 regressou para estágio profissional assumindo a responsabilidade de divulgar e promover o RIAS junto dos visitantes e nas redes sociais. Durante 2018 fez uma “pausa” para ingressar no mundo da hotelaria, mas acabou por regressar ao centro no inicio de 2019, pois embora não seja esta a sua área de estudo este é um trabalho que considera motivador e desafiante. É actualmente responsável por tarefas administrativas e gestão de recursos humanos.


Vera Marques | Educação Ambiental e Divulgação


A Vera é licenciada em Biologia pela Universidade do Algarve desde 2012, e mestre em Biologia Molecular e Genética pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Começou em 2014 a trabalhar com crianças, realizando experiências científicas para a Science4you. De 2015 a 2018, conjugou estas actividades com o Oceanário de Lisboa, onde trabalhou como Educadora Marinha, guiando as visitas e destacando a importância da conservação dos oceanos. Desde 2016 tem também realizado atividades de Educação Ambiental no Festival de Observação de Aves de Sagres, como parte de uma equipa representante da Almargem. Chegou ao RIAS em Janeiro de 2019, para trabalhar no Departamento de Educação Ambiental e Divulgação.


VOLUNTÁRIOS & ESTAGIÁRIOS



Ana Gheorghiu
Nasceu na Roménia há 25 anos, mas tem vivido sobretudo no Canadá. Estudou Conservação na Universidade de British Columbia (Canadá), trabalhou com tartarugas marinhas no Panamá, e com aves de rapina na Grécia. Estará a trabalhar no RIAS até Agosto, ao abrigo do Corpo Europeu de Solidariedade.






Carla Mecke
A Carla tem 18 anos e chegou ao RIAS vinda da Alemanha. Já fez voluntariado com animais domésticos na Grécia e Albânia, e agora está motivada para aprender sobre animais selvagens e a sua conservação. Ficará connosco até Setembro de 2019, altura em que termina o programa do Corpo Europeu de Solidariedade em que está inscrita.





Clara Punzi
Tem 23 anos e nasceu no sul da Itália. Terminou em Março o curso de Matemática pela Universidade de Bologna e Gottingen (Alemanha), onde fez Erasmus. Apesar de gostar de matemática, a sua ambição é trabalhar em algo relacionado com Natureza. Está desde Abril a trabalhar no RIAS ao abrigo do Corpo Europeu de Solidariedade. 
Fiach Byrne
Tem 24 anos e veio da Irlanda. Licenciado em Ciências pela Universidade College Cork, onde também se especializou em Zoologia. Participou num projeto de investigação e conservação de espécies polinizadoras durante a sua licenciatura. Recentemente, foi assistente de investigação em Sevilha, no estudo de aves necrófagas. Chegou ao RIAS em Agosto, ao abrigo do Corpo Europeu de Solidariedade.



Patrícia Alcazar Calle
A Patricia tem 26 anos e vem de Espanha. É licenciada em Biologia pela Universidade de Salamanca, e desde 2015 tem realizado vários voluntariados relacionados com conservação de fauna silvestre. Agora graças ao Corpo Europeu de Solidariedade irá estar um ano a trabalhar no RIAS. 
Jesús Carreras Duro
Tem 28 anos e vem de Toledo, Espanha. Licenciado en Biologia pela Universidade de Salamanca e mestre em Biologia Evolutiva, p
articipou em vários cursos relacionados com vida selvagem. Passou 3 meses na Fundação para Pesquisa em Etologia e Biodiversidade, e foi voluntário no centro de reprodução do lince ibérico de Zarza de Granadilla, onde depois trabalhou durante dois meses. Estará no RIAS até Julho 2020, ao abrigo do Corpo Europeu de Solidariedade.









Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que fazer se encontrar uma cria?

Dia Mundial do Pardal

Campanha de Apadrinhamento de Natal 2018