O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Construção de Caixas-ninho para Aves

No passado dia 25 de Março, o RIAS realizou a primeira actividade "Pais e Crias", um conjunto de actividades direccionadas para famílias e que são de participação gratuita devido ao apoio da Câmara Municipal de Olhão. 


Nesta primeira actividade o tema foi a construção de caixas-ninho para aves. Primeiro, os 16 participantes ouviram uma pequena apresentação sobre para que servem as caixas-ninho, que espécies de aves as usam e como colocá-las.


Em seguida iniciou-se a construção das caixas e os mais pequenos pegaram prontamente no martelo! 


Depois de montadas, as caixas foram decoradas com desenhos coloridos.




Apoio:



sexta-feira, 24 de março de 2017

Hora do Conto no Centro de Ciência Viva de Faro


No passado dia 22 de Março, o RIAS deslocou-se ao Centro de Ciência Viva do Algarve para realizar uma actividade com duas turmas de 1º ano da EB 1 de Marchil.
A actividade intitulada "Hora do Conto", consiste na narração do conto "Mauro e Emília - os nossos cágados estão em perigo. Vamos ajudá-los!", de Ana Mafalda Alves.


Após o conto as crianças participaram activamente numa conversa sobre as características das espécies autóctones e os perigos dos cágados invasores.
No final tiveram uma pequena actividade prática em que montaram e pintaram um cágado feito com recurso à reutilização de materiais.




(Fotografias: Centro Ciência Viva do Algarve)

Devolução à Natureza de um andorinhão-pálido

Devolução à Natureza de um andorinhão-pálido (Apus pallidus)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Março de 2017




Este andorinhão-pálido foi encontrado na varanda de um prédio pelo que deverá ter colidido com a janela. Não tinha ferimento encontrando-se apenas um pouco magro. 
Foi devolvido à natureza por quem o encontrou.


video

quinta-feira, 23 de março de 2017

Jornadas Práticas sobre Medicina de Fauna Selvagem

Queres aprender mais sobre Medicina da Fauna Selvagem?! 
O FAUNA em parceria com o RIAS tem a oportunidade ideal para ti! 

As Jornadas Práticas sobre Medicina de Fauna Selvagem irão decorrer no fim de semana de 8 e 9 de Abril nas instalações da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa




Preços:

- Sócios FAUNA: 66 faunas
- Sócios AEFMV: 69 faunas
- Estudantes não sócios: 74 faunas
- Profissionais: 82 faunas
- Sócios ALDEIA: 10% de desconto sobre os preços de estudante não sócios e profissionais



Inscrições: https://docs.google.com/forms/d/1wMOcUETLmIp7GrUG57Re8SGGhCRaCuMFmeJGAwKCS9o/viewform?edit_requested=true




Pagamento: Após preencher o formulário de inscrição receberá por e-mail a informação de como proceder ao pagamento.

Devoluções à Natureza de dia 21 de Março de 2017

Devolução à Natureza de 7 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e 2 gaivotas-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Março de 2017



Sete destas gaivotas chegaram ao RIAS devido a doença. Esta doença gastro-intestinal pode provocar debilidade, diarreia e paralisia das patas e asas. O seu tratamento consistiu em fluido-terapia e alimentação assistida.



As outras duas gaivotas ingressaram devido a lesões no ombro. Em ambos os casos foi necessário ligar a asa ao corpo de forma a imobilizá-la. Após o período de imobilização foram realizadas sessões de fisioterapia.
No final da recuperação foram todas submetidas a treinos de voo. Foram devolvidas à natureza por técnicos e voluntários do RIAS.



video


Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro(Erinaceus europaeus
Quinta de Marim - Olhão
21 de Março de 2017


Este ouriço, foi mais um dos que ingressou orfão no RIAS. Quando chegou em Novembro tinha apenas cerca de 70g. A sua recuperação consistiu em alimentação adequada e socialização com outros ouriços.
Foi devolvido à natureza por um grupo de amigos que o apadrinhou. 






quarta-feira, 22 de março de 2017

Devolução à Natureza de um coelho-bravo

Devolução à Natureza de um coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus)
Conceição de Faro - Quinta Pedagógica LURA
19 de Março de 2017



Um coelho foi predado por um cão. Apresentava apenas algumas feridas superficiais que foi necessário limpar e desinfectar. O animal era ainda uma pequena cria, pelo que apesar de já ser autónomo, ficou no RIAS por precaução até ganhar algum peso. 


Foi devolvido à Natureza pelo seu padrinho, na sua festa de anos realizada na LURA - Aprender Naturalmente. 



video

Devolução à Natureza de uma águia-cobreira

Devolução à Natureza de uma águia-cobreira (Circaetus gallicus)
Moncarapacho - Olhão
17 de Março de 2017



Esta águia-cobreira ingressou no RIAS em Novembro de 2016. Estava fraca e debilitada. Devido ao seu estado fragilizado apresentava diarreia e uma infecção fúngica oral. O seu tratamento consistiu na administração de anti-fúngico e anti-biótico.
No final da recuperação foi submetida a treinos de voo.


Foi devolvida à natureza por quem a encontrou.



video

sexta-feira, 17 de março de 2017

Gaivota libertada no RIAS em 2011 vista na Holanda

Foto: Jacob Jan de Vries

O RIAS tem um projecto de seguimento de gaivotas que se iniciou em Dezembro de 2010 com o objectivo de compreender melhor o sucesso de recuperação de cada indivíduo, a readaptação das Gaivotas ao meio natural após a sua devolução, estudar os movimentos das populações, determinar a sua origem e tentar compreender qual a longevidade das diferentes espécies.

Neste âmbito as gaivotas que libertamos são marcadas com uma anilha metálica e com um anilha PVC que tem um código que pode ser lido à distância.

Foto: Jacob Jan de Vries
No mês passado o RIAS recebeu um avistamento especial, a gaivota com o maior número de dias desde que foi devolvida à natureza: 2229 dias! 
A gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus) anilhada com o número F011 foi vista na Holanda.

Foto: Jacob Jan de Vries

Se vir alguma ave com anilha colorida que consiga ler o código, por favor, envie-nos essa informação para rias.aldeia@gmail.com

Devoluções à Natureza de dia 15 de Março de 2017

Devolução à Natureza de um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa) e um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Ludo - Almancil
15 de Março de 2017




Um cágado-mediterrânico ingressou no RIAS depois de ter sido atropelado. Tinha uma fractura no plastrão que foi necessário imobilizar. As fracturas nas carapaça podem levar vários anos a cicatrizar pelo que assim que ficou estável e sem risco de piorar foi devolvido à natureza.


O ouriço-cacheiro foi encontrado em Faro quando era ainda uma pequena cria e foi necessário alimentá-lo para crescer e ganhar peso.


Estes animais foram apadrinhados por 2 turmas de 6ºano da Escola Básica Santo António de Faro, que os devolveram à natureza e os baptizaram de "Mia" e "Benny".


video


Devolução à Natureza de dois ouriços-cacheiros (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim - Olhão
15 de Março de 2017




Este dois ouriços-cacheiros ficaram órfãos quando eram ainda pequenas crias. Ainda não eram capazes de sobreviver sozinhos e por isso foram encaminhados para o RIAS. A sua recuperação consistiu em alimentação adequada e socialização com outros ouriços.


Foram devolvidos à natureza pelas suas madrinhas que os baptizaram de "Pica" e "Beauty".



quinta-feira, 16 de março de 2017

Devolução à Natureza de 2 gaivotas-de-patas-amarelas

Devolução à Natureza de 2 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
12 de Março de 2017


  
Duas gaivotas-de-patas-amarelas foram encontradas por particulares em Portimão. Ambas tinham uma doença que as debilitava e provocava paralisia das patas e asas. O seu tratamento consistiu em fluído-terapia e alimentação assistida.Aos poucos foram recuperando mobilidade nas patas e asas e recomeçaram a alimentar-se sozinhas. 



No final da recuperação foram submetidas a treinos de voo. Foram devolvidas à natureza por quem as encontrou, sendo que uma delas foi baptizada de "Giginha".




Saída de Campo para Observação de Aves


No passado Sábado, dia 11 de Março, o RIAS realizou a primeira de várias saídas de campo organizadas em conjunto com a Câmara Municipal de Olhão. Esta actividade de campo foi dedicada à observação de aves na Quinta de Marim. 


Durante as 3 horas de percurso foi possível observar cerca de 30 espécies diferentes, como o andorinhão-pálido, a rola-do-mar e o pernilongo. 



Consulte as próximas actividades AQUI!