O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Comemoração do Dia Internacional da Biodiversidade com a ANA- Aeroporto de Faro



A ANA - Aeroporto de Faro convidou o RIAS para celebrar o Dia Internacional da Biodiversidade e que melhor forma de celebrar este dia do que com a devolução à natureza de um animal recuperado no nosso centro.

Assim, na presença do Sr. Director e de colaboradores da equipa de ambiente do aeroporto de Faro o RIAS devolveu à natureza uma águia-d'asa-redonda.




Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
Ludo - Faro
20 de Maio de 2016



Uma águia-d'asa-redonda foi encontrada em Vila do Bispo e reencaminhada para o RIAS pelos vigilantes da Natureza do Parque Natural da Ria Formosa. Tinha uma deformação no bico que lhe causou alguns ferimentos na língua e suspeita-se que tenha estado em cativeiro ilegal, tanto pelo seu comportamento como pela deformação do bico ser típica de rapinas mantidas em cativeiro.
Depois de tratado o ferimento na língua, foi colocada junto com outras águias para socializar, treinar o voo e treinar a caça.


Teve cerca de 5 meses no RIAS, pois demorou algum tempo a recuperar o comportamento selvagem natural da espécie.


Foi devolvido à natureza pelo Sr. Director do Aeroporto de Faro no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Biodiversidade  (22 de Maio) e foi baptizada de "Dakota".





Devoluções à Natureza de dia 20 de Maio de 2016

Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Maio de 2016



Uma andorinha-dos-beirais caiu do ninho e foi encontrada por um particular que a encaminhou para o RIAS. Foi necessário alimentá-la até que crescessem todas as penas necessárias ao voo.

Foi devolvida à natureza por quem a encontrou.

Devolução à Natureza de um andorinhão-pálido (Apus pallidus)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Maio de 2016



Um andorinhão-pálido foi encontrado em Faro. Não tinha lesões, mas estava muito magro e fraco. A sua recuperação consistiu em alimentação até recuperar a sua condição física normal. Foi devolvido à natureza por quem o encontrou. 


Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Maio de 2016



Um ouriço-cacheiro foi encontrado quando era ainda juvenil. Quem o encontrou esperou que os progenitores aparecessem, mas tal não aconteceu, pelo que o encaminhou para o RIAS. A sua recuperação consistiu em alimentação até que fosse autónomo para sobreviver na natureza. Por se encontrar um pouco debilitado quando chegou, desenvolveu um fungo na pele que foi necessário tratar com antifúngico.  Este ouriço foi devolvido por quem o encontrou e pela sua madrinha.







Devolução à Natureza de um morcego-de-peluche (Miniopterus schreibersii)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Maio de 2016



Um morcego-de-peluche foi encontrado em Almancil. A sua captura foi acidental e o animal não presentava qualquer lesão. Foi devolvido nesse mesmo dia à natureza.




terça-feira, 24 de maio de 2016

Devolução à Natureza de uma abetarda

Devolução à Natureza de uma abetarda (Otis tarda)
São Marcos da Atabueira - Castro Verde
19 de Maio de 2016



Uma abetarda foi encontrada na freguesia de Cuba e foi encaminhada para o RIAS pelos vigilantes da natureza do Parque Natural do Vale do Guadiana. Tinha uma fractura no ombro esquerdo. A lesão não era operável, mas imobilizou-se a asa para que sarasse durante cerca de um mês.


A abetarda foi devolvida à natureza numa propriedade da LPN em Castro Verde. 




Devoluções à Natureza de dia 18 de Maio de 2016

Devolução à Natureza de duas gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
18 de Maio de 2016



Duas gaivotas-de-patas-amarelas ingressaram no RIAS após terem sido encontradas por particulares em Faro e em Albufeira, respectivamente.
Uma apresentava sintomas de doença e o seu tratamento consistiu em fluido-terapia e posterior alimentação assistida. 
A segunda tinha uma luxação no ombro e foi necessário imobilizar a asa afectada. Também foi tratada com anti-inflamatório e antibiótico. Depois de se retirar a ligadura foi realizada fisioterapia para ajudar a recuperar a mobilidade da asa

No final, ambas foram submetidas a treinos de voo. Foram devolvidas à natureza por quem encontrou uma delas e por uma voluntária do RIAS.







Devolução à Natureza de duas andorinhas-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
18 de Maio de 2016


Duas andorinhas-dos-beirais ingressaram no RIAS após terem caído do ninho. Não tinham lesões, mas ainda não tinham capacidade para voar pelo que ficaram no RIAS até que lhes crescessem todas as penas necessárias ao voo. Durante esse tempo foram alimentadas de duas em duas horas com tenébrios.



Foram devolvidas à natureza por uma visitante e por uma voluntária do RIAS que as baptizaram de "Liberdade" e "Homeopatia".


Devoluções à Natureza de dia 16 de Maio de 2016

Devolução à Natureza de duas andorinhas-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
16 de Maio de 2016



Duas andorinhas-dos-beirais caíram do ninho e foram encaminhadas para o RIAS. Eram ainda muito jovens para conseguirem voar e foi necessário alimentá-las até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Foram devolvidas à natureza por quem as encontrou.




Devolução à Natureza de um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa)
Quinta de Marim - Olhão
16 de Maio de 2016



Um cágado-mediterrânico foi encontrado num local pouco apropriado pelo que foi encaminhado para o RIAS. Como não tinha lesões foi imediatamente devolvido à natureza.



Devolução à Natureza de um verdilhão (Chloris chloris)
Quinta de Marim - Olhão
16 de Maio de 2016




Um verdilhão foi encontrado quando ainda era uma pequena cria. Como ainda não conseguia voar foi necessário alimentá-lo até que o conseguisse fazer. Por fim, foi submetido a treinos de voo. A sua libertação foi gradual procedendo-se à abertura da jaula para que saísse apenas quando se sentisse confortável e nos primeiros dias foi deixada água e comida. 


Veterinário alemão especialista em répteis colabora com o RIAS


O Dr. Thomas Bauer, médico veterinário alemão especialista em repteis, contactou o RIAS oferecendo ajuda enquanto visitava o Algarve. Por coincidência tínhamos um cágado-mediterrânico com uma fractura na carapaça bastante grave pelo que aceitámos de imediato a sua colaboração. 



O método recomendado pelo Dr. Thomas para estabilizar a fractura foi utilizar uma pasta de Methacrylate que quando fica duro imobiliza a fractura. 



Este troca de conhecimentos entre profissionais é sempre uma grande mais-valia pelo que agradecemos mais uma vez ao Dr. Thomas pela sua disponibilidade e ajuda!


quarta-feira, 18 de maio de 2016

Devolução à Natureza de duas andorinhas-dos-beirais

Devolução à Natureza de duas andorinhas-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
15 de Maio de 2016



Duas andorinhas-dos-beirais foram encaminhadas para o RIAS após terem caído do ninho. Não tinham lesões e a sua recuperação consistiu em alimentação até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. No final foram submetidas a treinos de voo. Foram devolvidas à natureza por quem as encontrou.



Curso de Iniciação à Observação de Aves

No passado fim-de-semana, dias 14 e 15 de Maio, realizou-se a 1ª edição do Curso de Iniciação à Observação de Aves.



Este evento contou com 8 participantes, que ao longo de dois dias puderam aprender mais sobre o que é o "birdwacthing", quais os materiais usados para observação de aves, compreender a topografia e fenologia das aves, quais os locais favoráveis à observação, etc.


Pretendia-se que este fosse um curso bastante prático, por isso apenas uma manhã foi dedicada à teoria. A tarde de Sábado consistiu numa saída de campo na Quinta de Marim, onde se observaram cerca de 30 espécies.

O domingo foi dedicado inteiramente a uma saída de campo no Ludo onde se observaram cerca de 40 espécies.











Os participantes do curso ainda assistiram à devolução à natureza de uma cobra-de-ferradura.


Devolução à Natureza de uma cobra-de-ferradura (Hemorrhois hippocrepis)
Quinta de Marim - Olhão
14 de Maio de 2016


Esta cobra-de-ferradura foi encontrada nas instalações do RIAS. Estava a tentar alimentar-se na divisão que temos para a criação de ratos. Foi apanhada e imediatamente libertada com participantes do curso de iniciação à observação de aves.