O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Curso de Iniciação à Observação de Aves



A ALDEIA vai realizar nos próximos dias 14 e 15 de Maio a 1ª edição do Curso de Iniciação à Observação de Aves. Este evento é dirigido ao público em geral que tenha interesse por esta actividade. 

Programa:

Sábado, 14 de Maio:

9h00: Recepção dos participantes

9h30: Apresentação do RIAS / ALDEIA

10h00- 11h00: Módulo Teórico

Birdwatching – conceitos introdutórios

Material para observação

Topografia das aves

11h00: Intervalo

11h30 – 13h00: Módulo Teórico (Continuação)

Fenologia das aves

Plumagem e padrões de muda

Locais e períodos favoráveis à observação

Boas práticas em Birdwatching

13h00: Almoço livre

14h30 – 17h30: Módulo Prático

Saída de Campo na Quinta de Marim



Domingo, 15 de Maio:


8h00 – 12h00: Módulo Prático (Continuação)

Saída de Campo no Ludo

12h00: Almoço Livre

13h30 – 17h00: Continuação da saída

PREÇOS:

Até 7 de Maio:
Sócios da ALDEIA: 50 € 

Novos sócios da ALDEIA: 60€*


Após 7 de Maio:

Sócios da ALDEIA: 60 € 
Novos sócios da ALDEIA: 70€*



* Inclui inscrição como sócio da ALDEIA com quota válida por um ano (o que permitirá a inscrição em futuras actividades pelo valor para sócio). A inscrição como sócio da ALDEIA é obrigatória para a participação no evento. A ficha de sócio pode ser preenchida no dia do evento ou preenchida e enviada por email caso assim seja solicitado pelo participante.


Nota: Quem tiver binóculos, guias de campo ou telescópio deverá levar o seu equipamento.


INSCREVA-SE JÁ AQUI!


Inscrições - MODO DE PAGAMENTO

Em caso de desistência não será reembolsado o valor da inscrição.



- TRANSFERÊNCIA*:

NIB: 003505550004877083028 (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

* Enviar comprovativo de transferência por correio para a morada acima indicada, ou por correio electrónico para rias.aldeia@gmail.com.




Contactos:
Correio electrónico: rias.aldeia@gmail.com
Tel. 927659313

quarta-feira, 30 de março de 2016

Devoluções à Natureza de dia 25 de Março de 2016

Devolução à Natureza de um tordo-comum (Turdus philomelus)
Quinta de Marim - Olhão
25 de Março de 2016




Um tordo-comum foi encontrado nas imediações do hotel Real Marina em Olhão. Suspeita-se que tenha colidido contra um vidro ou estrutura, pois tinha um pouco de sangue no bico. No entanto, no exame físico verificou-se que não tinha qualquer lesão pelo que foi prontamente devolvido à natureza por técnicos do RIAS.


Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
25 de Março de 2016



Locais de origem - Vilamoura
Causa de ingresso - Doença
Sintomas - Debilidade e diarreia, paralisia dos membros.
Tempo de recuperação - um mês e meio



video


quinta-feira, 24 de março de 2016

Visita do Acampamento Azul ao RIAS



No passado dia 22 de Março, 6 crianças do Acampamento Azul da ACASO visitaram o RIAS. Primeiro aprenderam o que é um centro de recuperação de animais selvagens e depois ficaram a conhecer algumas das espécies que ingressam no nosso centro.  A apresentação foi feita com recurso a diversos materiais biológicos que eles puderam tocar.



Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Março de 2016


Uma gaivota-d'asa-escura foi encontrada em Ferragudo por um particular que a encaminhou para o RIAS. Encontrava-se debilitada pelo que o seu tratamento consistiu em alimentação até que recuperasse forças. A sua recuperação demorou cerca de um mês, sendo que no final esteve numa câmara exterior para treinar o voo.

Foi devolvida à natureza por um grupo de crianças do Acampamento Azul. 



video

Educação Ambiental em Tavira

No passado dia 16 de Março, a convite da Câmara Municipal de Tavira, o RIAS deslocou-se às escolas D. Manuel I e D. Paio para realizar duas sessões de educação ambiental sobre "Os segredos das nossas aves".


Três turmas do 5º, 6º e 7º ano puderam aprender um pouco mais sobre as aves que habitam em Portugal e mais especificamente na Ria Formosa. Os alunos mostraram-se muito interessados e participativos. 





Esta actividade tem o apoio da Câmara Municipal de Tavira!


terça-feira, 22 de março de 2016

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura e uma gaivota-de-patas-amarelas

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus) e uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
12 de Março de 2016



A gaivota-d'asa-escura ingressou no RIAS devido a doença. Foi encontrada em Quarteira na praia sem se conceguir mexer. O seu tratamento consistiu em administração de fluídos e auxilio na alimentação.
A gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada em Olhão e tinha sido atropelada. Tinha uma fractura na asa esquerda pelo que foi necessário imobilizar a asa afectada e administrar antibiótico. A sua recuperação demorou cerca de 3 meses.
No final da recuperação ambas foram colocadas numa câmara exterior para treinar o voo. 


Estas gaivotas foram devolvidas à natureza por alunas de 10º ano da Escola Secundária de Tavira que visitaram o RIAS no âmbito de um projecto da disciplina de Português.



video

quarta-feira, 16 de março de 2016

Devolução à Natureza de duas gaivotas-d'asa-escura e uma gaivota-de-patas-amarelas

Devolução à Natureza de duas gaivotas-d'asa-escura (Larus fuscus) e uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Praia do Cabeço - Castro Marim
11 de Março de 2016



Estas gaivotas foram encontradas por particulares em Faro, Quarteira e Lagos. Apresentavam paralisia das patas e asas não se conseguindo mover nem alimentar sozinhas. Nos primeiros dias foi necessário administrar-lhes fluidos e alimentá-las com sonda. Posteriormente foram colocadas numa câmara exterior para treinarem o voo.


Estas gaivotas foram devolvidas à natureza com a turma 1ºA da Escola EB 1/JI Castro Marim que apadrinhou estes animais. Antes da libertação foi feita uma breve explicação sobre as gaivotas para que os alunos ficassem a conhecer melhor os animais apadrinhados. As gaivotas foram baptizadas de "Trinca", "Espinhas" e "Fofinha".







video


quinta-feira, 10 de março de 2016

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
8 de Março de 2016




Uma gaivota-d'asa-escura foi encontrada em Olhão por um particular. Apresentava paralisia das patas e asas não se conseguindo mover nem alimentar sozinha. Nos primeiros dias foi necessário realizar fluido-terapia e alimentá-la com sonda. Posteriormente começou a comer sozinha e foi submetida a treinos de voo.


No âmbito de uma actividade desenvolvida pela Quinta do Peral, uma turma da escola EB 1 nº1 de São Brás de Alportel, que visitava o moinho de maré da Quinta de Marim, foi convidada para participar na devolução à natureza desta gaivota. 


video

IV AEICBAS Biomedical Congress


O RIAS e o CERVAS (ambos centros da Associação ALDEIA) foram convidados pela Associação de Estudantes do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto a participar no IV AEICBAS Biomedical Congress. 



O evento teve lugar nos dias 4, 5 e 6 de Março, no Porto, e os veterinários do RIAS e do CERVAS participaram com um workshop intitulado "Forensic Veterinary Medicine applied to the conservation of wild birds - legal and medical aspects. Recovery of Wild Animals in Portugal - causes, cases and actions."
Cerca de 30 pessoas assistiram a esta palestra onde para além da base teórica foram apresentados vários casos práticos.







quarta-feira, 9 de março de 2016

Águia-pesqueira libertada pelo RIAS volta um ano depois ao mesmo local!

No dia 30 de Janeiro de 2015 o RIAS devolveu à natureza na Ria de Alvor uma águia-pesqueira recuperada no nosso centro (ver aqui a notícia: http://rias-aldeia.blogspot.pt/2015/02/devolucao-natureza-de-uma-aguia.html).

No passado dia 1 de Março de 2016, a mesma águia-pesqueira voltou a ficar presa numa rede de pesca, provavelmente quando tentava caçar um peixe, perto do local onde foi devolvida à natureza.

Este é um registo impressionante por vários motivos! Porque é uma ave que migrou durante o inverno e regressou ao mesmo local onde foi libertada um ano antes, porque foi apanhada novamente numa rede de pesca (e sobreviveu) e finalmente porque foi libertada pelas mesmas pessoas nas duas vezes! 

O reconhecimento desta ave foi possível graças à anilha que lhe foi colocada no momento da sua primeira devolução à natureza, o que reforça a importância deste tipo de marcação para a realização de estudos sobre biologia e dispersão das aves. 



Fotografia de Lieske de Wilde

O RIAS agradece à Associação A Rocha pelo trabalho de sensibilização que realizam nessa zona do Algarve, que se reflete em casos como este, onde um animal selvagem é encontrado e devidamente encaminhado, sem que se perca tempo e dados. Obrigada também ao Guillaume Rethore, pelo envio da informação e da fotografia desta ave tão emblemática. 

terça-feira, 8 de março de 2016

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
6 de Março de 2016




Uma gaivota-d'asa-escura foi encontrada em Olhão por um particular. Apresentava sintomas de uma doença que debilita e desidrata. Foi necessário administrar fluidos subcutâneos e auxiliar na alimentação nos primeiros dias. Quando recuperou forças foi colocada numa câmara exterior para treinar o voo.
Foi devolvida à natureza por quem a encontrou.

video

Actividade de Educação Ambiental na Quinta do Peral, São Brás de Alportel


No passado dia 5 de Março o RIAS foi convidado pela Quinta do Peral para desenvolver uma acção de educação ambiental sobre os cágados. 
Cerca de 20 pessoas, crianças e adultos, puderam descobrir um pouco mais sobre os cágados autóctones - cágado-mediterrânico e cágado-de-carapaça-estriada - e compreender as ameaças a estas espécies.




Depois da actividade em sala houve uma saída de campo na Fonte Férrea para a devolução à natureza de dois exemplares de cágado-mediterrânico.




Devolução à natureza de 2 cágados-mediterrânicos (Mauremys leprosa)
Fonte Férrea - São Brás de Alportel
5 de Março de 2016



Dois cágados-mediterrânicos encontravam-se em cativeiro ilegal na casa de um particular há dois anos. Estes dois cágados tinham sido recolhidos ilegalmente da ribeira de Fonte Férrea, em São Brás de Alportel. Após uma acção de sensibilização realizada na Quinta do Peral, sobre esta temática, os particulares entregaram voluntariamente estes animais para que fossem posteriormente devolvidos à natureza.





sexta-feira, 4 de março de 2016

Devoluções à Natureza do Dia Internacional da Vida Selvagem

Para assinalar o Dia Internacional da vida Selvagem (3 de Março) o RIAS devolveu à natureza dois animais. Um peneireiro-cinzento e um ouriço cacheiro ambos libertados pelos seus padrinhos.
Esta actividade teve o apoio a Junta de Freguesia de Quelfes que apadrinhou um dos animais libertados.


Devolução à Natureza de um peneireiro-cinzento (Elanus caeruleus)
Quelfes - Olhão
3 de Março de 2016



Um peneireiro-cinzento foi encontrado em Quelfes por um senhor que assistiu ao ataque de uma águia de grande porte a este individuo. O peneireiro apresentava feridas nas costas e pernas com penas arrancadas em grande parte do corpo. O seu tratamento consistiu em suturar e limpar as feridas. Foram também necessários vários meses (aproximadamente 3) para que as penas voltassem a crescerem e este pudesse voar. No final da recuperação foi submetido a treinos de voo e caça. 


Este animal tinha dois padrinhos, um deles a Junta de Freguesia de Quelfes que se disponibilizou a apoiar a recuperação deste animal encontrado na sua freguesia.


O animal foi devolvido à natureza na presença dos seus padrinhos e da Escola Básica de Quelfes.


video


Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Quelfes - Olhão
3 de Março de 2016


Um ouriço-cacheiro foi encontrado em Tavira por um particular que o encaminhou para o nosso centro. Era uma pequena cria de apenas 160g que tinha ficado orfão e ainda não tinha capacidade para sobreviver sozinha. Quando chegou ao centro foi desparasitado interna e externamente e alimentado com papa. Quando cresceu começou a ser alimentado com uma mistura de ração húmida, fruta e insectos.
Foi devolvido à natureza pela sua madrinha.