Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2016

Quatro crias de ouriços

Imagem
Este mês o RIAS recebeu uma ninhada de quatro crias de ouriço, que terá ficado órfão. Infelizmente, é comum os progenitores morrerem (por exemplo por atropelamento) deixando as crias ainda sem capacidade para sobreviverem sozinhas.

Estes ouriços chegaram com cerca de 95g cada e ficarão ao cuidado do RIAS até atingirem pelo menos 500g.


Para que tal seja possível o RIAS necessita de latas de ração húmida de cão ou gato, pois este pequeninos alimentam-se de uma mistura desta ração com frutas e insectos. 

Alguém interessado em apadrinhar estes pequeninos? Consulte as condições da nossa campanha de Natal AQUI



Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro e de uma coruja-das-torres

Imagem
Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus) e de uma coruja-das-torres (Tyto alba)
Quinta de Marim - Olhão
26 de Novembro de 2016



Uma coruja-das-torres e um ouriço-cacheiro ingressaram no RIAS quando eram juvenis. Nenhum apresentava lesões, sendo que a coruja terá caído do ninho ao tentar o primeiro voo e o ouriço terá ficado órfão.
A sua passagem pelo RIAS consistiu essencialmente em alimentação adequada. O ouriço foi alimentado até atingir uma boa condição corporal para aguentar o Inverno e a coruja até ter as penas de voo desenvolvidas, altura em que começou a treinar a caça.



Este dois animais foram apadrinhados por dois irmãos que os devolveram à natureza e que os baptizaram de  "Patinhas" (ouriço) e "Super B" (coruja). 


Quer oferecer aos mais pequenos uma prenda original e solidária? Ofereça um apadrinhamento de uma animal selvagem em recuperação no RIAS ou no CERVAS e para além de contribuir para a conservação da natureza dê aos mais pequenos um…

Semana da Ciência e da Tecnologia, em parceria com os Centros de Ciência Viva

Imagem
Entre os dias 21 a 27 de Novembro decorreu a Semana da Ciência e da Tecnologia, organizada pelos centros de Ciência Viva. Durante uma semana instituições científicas, universidades, escolas e museus abriram portas e ofereceram ao público diferentes actividades.  O RIAS foi convidado a participar em duas actividades com os centros de Ciência Viva do Algarve e de Tavira.

No dia 23, o RIAS deslocou-se à escola EB 1 de Marim para realizar uma actividade dedicada às penas. Esta actividade interactiva tem como objectivo mostrar as diversas funções das penas das aves através de mini-experiências. É ainda abordada a questão da poluição marinha, nomeadamente através dos derrames de petróleo e outros óleos. 




Durante o dia 24 de Novembro, O RIAS esteve presente na Mostra de Projetos de Ciência e Tecnologia, no Mercado da Ribeira de Tavira. Durante todo o dia recebemos na nossa banca turmas do concelho, apresentando o RIAS e fazendo uma pequena experiência também sobre as penas das aves e as consequ…

Devolução à Natureza de 8 gaivotas-d'asa-escura e 5 gaivotas-de-patas-amarelas

Imagem
Devolução à Natureza de 8 gaivotas-d'asa-escura (Larus fuscus) e 5 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
24 de Novembro de 2016



Ao longo dos meses de Setembro e Outubro, estas gaivotas ingressaram no RIAS, vindas de várias partes do Algarve.
Dez destas gaivotas apresentavam sintomas de doenças: estavam desidratadas, com diarreia e paralisia dos membros. O seu tratamento consistiu em fluído-terapia e alimentação assistida até recuperaram forças.


As restantes tinham traumas diversos. O seu tratamento consistiu em limpeza da ferida e imobilização da área afectada, quando necessário. No final foram todas submetidas a treinos de voo.




Educação Ambiental na EB 1 Alberto Iria, em Olhão

Imagem
No âmbito da disciplina extra-curricular de Ciências Experimentais, a professora Maria Rosário, convidou o RIAS para dinamizar actividades com os alunos do 4º ano das Escola EB 1 Alberto Iria, em Olhão.

Assim, foi realizada uma actividade interactiva cujo objectivo é mostrar as diversas funções das penas das aves através de mini-experiências. Foi também abordada a questão da poluição marinha, nomeadamente através dos derrames de petróleo e outros óleos.




No RIAS o Natal chegou mais cedo!

Imagem
A empresa Sistronica, pelo seu representante Sr. Mário, respondeu ao apelo do RIAS para aquisição de câmaras de video vigilância. A empresa instalou de forma totalmente gratuita 16 câmaras, quatro nas instalações de reabilitação interiores e 12 nas exteriores, e facultou gravador de imagens e um ecrã.
Este equipamento é de grande importância para o trabalho do centro por dois motivos: - permite a monitorização do comportamento dos animais em recuperação; - permite mostrar imagens dos animais em recuperação aos visitantes do nosso centro de interpretação ambiental (único espaço visitável do centro, sendo que a visitação dos animais é proibida).



Não temos palavras para agradecer este equipamento tão necessário e que de outro modo não conseguiríamos adquirir. Assim, convidámos a Sistrónica para a devolução à natureza de uma águia-d'asa-redonda.


Muito obrigado!

Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Novembro de 2016



Esta águia-d'asa-r…

Imagens do RIAS no programa "Literatura Aqui"

O "Literatura Aqui" é um programa de literatura apresentado por Pedro Lamares. O programa pretende abranger todos os estilos desde poesia, ensaio, teatro, conto, crónica, fábula, novela, policial, romance, etc. 

Para acompanhar um dos textos foram utilizadas imagens recolhidas no RIAS, nomeadamente, a necropsia de uma gaivota.Esta é uma perspectiva artística diferente do nosso trabalho, que não se foca só na recuperação, mas também abrange a investigação das causas da morte do animal. Algumas das imagens podem impressionar os mais sensíveis.
Aqui fica o resultado final, que foi transmitido no último episódio deste programa, transmitido na RTP 2, RTP África e RTP Internacional.


Al-Gharb Tavira Eco GuestHouse apadrinha ouriço em recuperação

Imagem
Al-Gharb Tavira Eco GuestHouse, alojamento local localizado na cidade de Tavira, aderiu à nossa campanha de apadrinhamento para empresas, e apadrinhou um pequeno ouriço-cacheiro em recuperação.  Este alojamento além de seguir práticas amigas do ambiente e de ser pet-friendly, tem também uma missão solidária, colaborando com diversas associações e entidades. Este mês decidiram ajudar a nossa causa e apoiaram o nosso trabalho através deste simbólico apadrinhamento. 


Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europeus)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Novembro de 2016



Um ouriço-cacheiro foi encontrado por um particular perto de uma estrada. Por ser ainda pequeno e por se encontrar sozinho e numa zona perigosa quem o encontrou encaminhou-o para o nosso centro. Não tinha lesões, pelo que a sua passagem pelo RIAS consistiu em alimentação adequada para que ganhasse peso para sobreviver ao inverno. 

Foi devolvido à natureza pela representante da Al-Gharrb Tavira Eco Guesthouse , empresa qu…

Campanha de apadrinhamento de Natal 2016

Imagem
Todos os anos o CERVAS (Gouveia) e o RIAS (Olhão) fazem uma campanha de Natal conjunta, que pretende ser um meio de angariação de fundos para a manutenção e gestão dos dois centros de recuperação de fauna selvagem, geridos pela Associação ALDEIA desde 2009, em parceria com o ICNF e a ANA – Aeroportos de Portugal. 


Colabore nesta campanha e estará ao mesmo tempo a dar um presente original e solidário!



Ao oferecer um apadrinhamento estará a contribuir simbolicamente para o trabalho dos dois centros e quem o receber poderá ter a possibilidade de assistir à devolução à Natureza do animal apadrinhado (se tal for possível no final do processo de recuperação). 

Existem 3 modalidades de apadrinhamento:
Apadrinhamento Digital - 15€ Inclui: - Certificado de apadrinhamento em formato digital; - Possibilidade de assistir à devolução à natureza do animal apadrinhado; - Possibilidade de solicitar informações e fotografias do animal; - Inserção do seu email na lista de divulgação do RIAS/CERVAS para que poss…

Devolução à Natureza de um mocho-galego

Imagem
Devolução à Natureza de um  mocho-galego (Athene noctua)
Quinta Pedagógica Lura - Conceição de Faro
 19 de Novembro de 2016


Uma mocho-galego foi encontrado em Algoz por um particular. O animal tinha sido atropelado e apesar de não apresentar fracturas, tinha alguns hematomas e uma lesão no olho esquerdo. O seu tratamento consistiu em administração de antibióticos e tratamento oftalmológico no olho afectado.




Posteriormente foi submetido a treinos de voo e de caça.


Este mocho foi devolvido à natureza numa festa de anos na Quinta Pedagógica Lura, tendo sido apadrinhado pela pequena aniversariante.




Devolução à Natureza de uma coruja-do-mato

Imagem
Devolução à Natureza de uma coruja-do-mato (Strix aluco)
Quinta de Marim - Olhão
18 de Novembro de 2016



Uma coruja-do-mato foi encontrada em Quarteira. Verificou-se que estava cega de um olho devido a lesão antiga. O seu tratamento consistiu em administrar antibiótico e tratamento oftalmológico.


Posteriormente foi submetida a treinos de voo e de caça. Este procedimento, normal com todas as aves de rapina, foi um pouco mais demorado no caso deste animal de forma a garantir que, apesar da cegueira de um dos olhos, seria capaz de sobreviver na natureza.
Foi libertada por quem a apadrinhou.




Se quiser ser padrinho/madrinha de um animal em recuperação clique AQUI

Devoluções à Natureza de dia 17 de Novembro de 2016

Imagem
Devolução à Natureza de um galeirão (Fulica atra)
Quinta de Marim - Olhão
17 de Novembro de 2016



Este galeirão ingressou no RIAS com sintomas de botulismo. O seu tratamento consistiu em fluido-terapia, nos primeiros dias, e posteriormente alimentação adequada. Quando recuperou forças e começou a alimentar-se sozinho foi colocado numa instalação exterior para treinar o voo.

Foi devolvido à natureza por técnicos do RIAS.


Devolução à Natureza de uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
17 de Novembro de 2016



Uma gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada em Portimão por um particular que a encaminhou para o RIAS. Verificou-se que tinha sintomas de doença, estando bastante debilitada, com paralisia das patas e diarreia. O tratamento consistiu em fluido-terapia e posterior alimentação adequada. Foi devolvida à natureza por quem a encontrou.