O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Actividade com construção de comedouros - Ciência Viva no Verão


No passado dia 27 de Julho o RIAS realizou mais uma actividade Ciência Viva no Verão, desta vez dedicada ao tema "O que comem as nossas aves".  

A actividade contou com 9 participantes que começaram por aprender o que comem as aves e quais as suas adaptações a nível de patas e bico. 


Depois iniciou-se a parte prática com construção de comedouros de garrafas PET e pacotes de leite.




Devolução à Natureza de 3 patos-reais

Devolução à Natureza de 3 patos-reais (Anas platyrhynchos)
Quinta de Marim - Olhão
27 de Julho de 2016




Estes patos-reais foram encontrados em Cacela Velha. Eram pequenas crias que não tinham os progenitores por perto, razão pela qual foram recolhidos e encaminhados para o RIAS.

Esta ninhada esteve cerca de seis semana a ser alimentada até serem autónomos.
Foram devolvidos à natureza por técnicos e voluntários do RIAS.




Saída Nocturna para Observação de Camaleões - Ciência Viva no Verão


No passado dia 26 de Julho foi realizada a primeira de duas saídas de campo nocturnas para observação de camaleões. Esta actividade foi realizada no âmbito do Ciência Viva no Verão e contou com cerca de 10 participantes.
A saída ocorreu entre as 21h e as 23h na Quinta de Marim, em Olhão, e revelou-se um sucesso com a observação de 8 camaleões!


Esta espécie não tem hábitos nocturnos, mas é mais fácil de observar à noite por não se conseguir camuflar uma vez que não distingue as cores que o rodeiam.


quinta-feira, 28 de julho de 2016

Ingresso de 73 morcegos no RIAS

No passado dia 17 de Junho tivemos no RIAS um caso único de ingresso de dezenas de morcegos-anões (Pipistrellus pipistrellus) provenientes de Albufeira.

Após a manutenção e substituição dos candeeiros da via pública em Albufeira os técnicos da Câmara Municipal dessa cidade encontraram uma colónia de morcegos dentro de um dos candeeiros que tinham levado para o armazém. Uma vez que era impossível re-colocar o candeeiro no mesmo local, os técnicos da empresa trouxeram-no rapidamente até ao nosso centro.


Após a abertura do candeeiro encontramos no seu interior 73 morcegos de todas as idades! 





Uma vez que esta espécie vive em colónias, decidimos afixar o candeeiro numa das paredes do nosso centro para que os animais não fossem perturbados e conseguissem sair e entrar sempre que quisessem. 



Este foi um caso que terminou bem para esta colónia graças à sensibilidade dos técnicos da Câmara Municipal de Albufeira, a quem voltamos a agradecer.

Devoluções à Natureza de dia 23 de Julho de 2016

Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Julho de 2016



Uma andorinha-dos-beirais foi encontrada após ter caído do ninho e um particular encaminhou-a para o RIAS. A sua passagem pelo nosso centro foi bastante rápida sendo que ao fim de pouco mais de uma semana, já tinha as penas necessárias ao voo. Durante os dias que esteve connosco foi necessário alimentá-la de duas em duas horas e desparasitar.

Foi devolvida à Natureza pela família que a tinha encontrado.






Devolução à Natureza de uma cobra-de-pernas-pentadáctila (Chalcides bedriagai)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Julho de 2016



Esta cobra-de-pernas-pentadáctila foi encontrada num armazém dentro de uma caixa de cartão. Quem a encontrou trouxe-a para o RIAS, pois não sabia de que espécie se tratava e desconhecia que existisse em Portugal, mas esta espécie "estranha" é mesmo natural da nossa fauna (mais informações no Blog Répteis e Anfíbios de Portugal AQUI).


Como estava tudo bem e se tratava de uma fêmea prenha foi prontamente devolvida à natureza.




Devolução à Natureza de um camaleão-comum (Chamaeleo chamaeleon)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Julho de 2016



Uma camaleão-comum foi encontrado por uma técnica do RIAS, em Olhão. O animal estava a atravessar a estrada numa zona residencial pelo que foi recolhido, realizou-se o exame físico para certificar que estava tudo bem e foi imediatamente devolvido à natureza num local mais adequado.


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Hotéis Real apadrinham uma coruja-das-torres

Pelo segundo ano consecutivo o grupo hoteleiro "Hotéis Real" apoia o RIAS através do apadrinhamento de um animal em recuperação. Em 2015, o afilhado escolhido foi um bufo-real, sendo que este ano adoptaram novamente uma rapina nocturna, uma coruja-das-torres.



Devolução à Natureza de um coruja-das-torres (Tyto alba)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Julho de 2016


Esta coruja-das-torres ingressou no RIAS após ter caído do ninho. Foi necessário alimentá-la até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Posteriormente foi colocada numa câmara exterior para treinar o voo e socializar com outros indivíduos da mesma espécie. 
Já na fase final de recuperação foi submetida a treinos de caça.


Foi devolvida à natureza por representantes dos Hotéis Real que apadrinharam esta coruja e que a baptizaram de "Real".


Se quiser fazer como os Hotéis Real e contribuir para a conservação da nossa fauna selvagem contacte-nos!
Todas as informações estão disponíveis AQUI.


Devoluções à Natureza de dia 21 de Julho de 2016

Devolução à Natureza de uma cobra-de-ferradura (Coluber hippocrepis)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Julho de 2016


Uma cobra-de-ferradura foi encontrada presa numa grelha de escoamento dentro das instalações do RIAS. Os nossos técnicos resgataram-na e verificando que não tinha lesões foi prontamente devolvida à natureza.




Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Julho de 2016



Esta andorinha-dos-beirais foi encontrada quando ainda era uma cria. Foi necessário alimentá-la até que crescessem todas as penas necessárias ao voo e posteriormente treinar o voo.
Foi libertada por técnicos do RIAS.

Devolução à Natureza de uma coruja-do-mato (Strix aluco)
Quinta de Marim - Olhão
21 de Julho de 2016


Uma coruja-do-mato foi encontrada em Vila Real de Santo António após ter sido atropelada. Verificou-se que tinha rotura da íris no olho direito e hemorragia no ouvido esquerdo. Foi efectuado tratamento oftalmológico e administrado anti-inflamatório. O olho afectado ficou com os reflexos pupilares bastante diminuídos pelo que se temeu que a capacidade de visão tivesse ficado afectada. No entanto, quando submetida a treinos de voo e de caça verificou-se que conseguia desviar-se de obstáculos e caçar.

Foi devolvida à natureza por quem a encontrou e foi baptizada de "Camões".






quinta-feira, 21 de julho de 2016

Devoluções à Natureza de dia 20 de Julho de 2016

Devolução à Natureza de um mergulhão-pequeno (Tachybaptus ruficollis)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Julho de 2016



Um mergulhão-pequeno foi encontrado em Quelfes. Era uma pequena cria, sem lesões. Ficou em observação durante alguns dias e verificando-se que estava tudo bem foi prontamente devolvido à natureza por técnicos do RIAS e visitantes da Quinta de Marim.




Devolução à Natureza de um camaleão (Chamaeleo chamaeleon)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Julho de 2016




Um camaleão foi encontrado por particulares que o encaminharam para o RIAS. O animal não tinha lesões, estava apenas num local muito movimentado e por isso pouco adequado.
Foi imediatamente devolvido à natureza por quem o encontrou.





Actividade de Educação Ambiental com o centro pedagógico "Kids Meeting"


No passado dia 20 de Julho crianças do centro pedagógico "Kids Meeting", em Olhão, deslocaram-se ao RIAS para visitar o nosso centro de interpretação ambiental.
Primeiro foi feita uma breve descrição do que é e como funciona um centro de recuperação de animais selvagens. Depois com o recurso a materiais biológicos, as 31 crianças, aprenderam um pouco mais sobre os animais selvagens da fauna portuguesa. 


No final participaram na devolução  à natureza de um ouriço-cacheiro e de três gaivotas-de-patas-amarelas (ver abaixo).



Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Julho de 2016



Um ouriço-cacheiro foi encontrado sozinho numa zona urbanizada. Verificando-se que não tinha os pais por perto, um particular encaminhou-o para o RIAS. Esta cria de ouriço não apresentava lesões sendo apenas demasiado jovem para sobreviver sozinha. Assim, a sua recuperação consistiu em alimentação adequada. 
Foi devolvido à natureza por um grupo de crianças do centro pedagógico "Kids Meeting" que o baptizaram de "Kid".



Devolução à Natureza de 3 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
20 de Julho de 2016



Uma destas gaivotas era uma juvenil que ingressou no RIAS ainda bastante pequena. Terá caído do ninho, mas não apresentava lesões pelo que apenas foi necessário alimentá-la até crescer.
As outras duas ingressaram devido a traumas diversos. Uma tinha uma luxação no ombro direito e foi necessário imobilizar a asa afectada. A última apresentava várias feridas na asa e na pata e tinha várias penas partidas. As feridas foram limpas e desinfectadas. 

No final da recuperação foram todas submetidas a treinos de voo. Foram também devolvidas à natureza por um grupo de crianças do "Kids Meeting".




quarta-feira, 20 de julho de 2016

Devoluções à Natureza de dia 19 de Julho de 2016

Devolução à Natureza de um melro-preto (Turdus merula)
Quinta de Marim - Olhão
19 de Julho de 2016



Este melro-preto estava em cativeiro ilegal, tendo sido reencaminhado para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Devido à jaula onde foi mantido, o melro tinha várias penas partidas e feridas no bico. Foi necessário esperar que as penas voltassem a crescer e colocá-lo numa instalação com outros indivíduos da mesma espécie para socializar.

Foi devolvido à natureza por uma voluntária do RIAS.




Devolução à Natureza de 5 cegonhas-brancas (Ciconia ciconia)
Quinta de Marim - Olhão

19 de Julho de 2016



Quatro cegonhas ingressaram no RIAS devido a serem juvenis e inexperientes no voo. Duas delas foram encontradas no doca de Olhão por trabalhadores da Tunipex, que as recolheram e encaminharam para o nosso centro. As outras duas juvenis foram encontradas perto dos seus ninhos. Não tinham lesões e a sua recuperação consistiu em alimentação adequada e treinos de voo.



A outra cegonha foi encontrada em Odiáxere e terá colidido com uma estrutura o que provocou uma fractura na clavícula esquerda. A sua recuperação consistiu em imobilizar a asa afectada até a fractura ossificar. Posteriormente realizaram-se algumas sessões de fisioterapia e treinou o voo.


Foram devolvidas à natureza por quem as encontrou e por voluntários e técnicos do RIAS.







Devolução à Natureza de 8 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
19 de Julho de 2016



Cinco destas gaivotas chegaram-nos eram ainda pequenas crias. Não apresentavam lesões, mas terão caído do ninho em zonas perigosas não sendo possível continuarem ao cuidado dos seus progenitores. Assim, foi necessário fornecer alimentação adequada e esperar que crescessem todas as penas necessárias ao voo.



Um destas foi encontrada em Portimão e ingressou devido a doença. O seu tratamento consistiu em administração de fluidos e alimentação assistida.



As restantes duas ingressaram devido a ferimentos e a trauma devido a um anzol de pesca e atropelamento, respectivamente.
No final da recuperação foram todas submetidas a treinos de voo.


Foram devolvidas à natureza por quem encontrou uma delas e por voluntárias do RIAS.