O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Devoluções à Natureza de dia 28 de Maio de 2015

Devolução à Natureza de uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Quinta de Marim - Olhão
28 de Maio de 2015




Uma gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada na zona de Armação de Pêra por um particular.  Encontrava-se bastante debilitada e desidrata pelo que a sua recuperação consistiu em administração de fluídos e alimentação assistida até que recuperasse forças. Foi devolvida à natureza por quem a encontrou.


Devolução à Natureza de um melro-preto (Turdus merula)
Quinta de Marim - Olhão
28 de Maio de 2015



Um melro-preto caiu do ninho em Olhão e um particular resgatou-o e encaminhou para o nosso centro. Não apresentava lesões, mas ainda era muito pequeno para voar e ainda não se alimentava sozinho. Assim, a sua recuperação consistiu em alimentação até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Posteriormente foi submetido a treinos de voo. Foi devolvido à natureza por quem o encontrou.



Devolução à Natureza de um guarda-rios (Alcedo atthis)
Quinta de Marim - Olhão
28 de Maio de 2015



Um guarda-rios ingressou no RIAS após ter sido encontrado na zona do Azinhal. Estava debilitado, mas não apresentava lesões. A sua recuperação foi rápida e consistiu essencialmente em alimentação adequada. Foi devolvido à natureza por visitantes do CIA que o baptizaram de "Eziquiel".




Visita do Centro Social Nossa Senhora do Carmo


No passado dia 29 de Maio o RIAS recebeu a visita de cerca de 12 utentes do Centro Social Nossa Senhora do Carmo, da Fuseta. Os visitantes tiveram a oportunidade de saber mais sobre o trabalho do nosso centro e esclarecer algumas dúvidas sobre as espécies de aves, répteis e mamíferos.
No final tiveram a oportunidade de devolver à natureza uma gaivota-d'asa-escura que apadrinharam (ver abaixo).

Devolução à Natureza de uma gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
28 de Maio de 2015




Esta gaivota-d'asa-escura foi encontrada em Portimão por um particular. O animal apresentava sintomas de doença - debilidade extrema, desidratação e diarreia. O tratamento consistiu em administração de fluídos e alimentação assistida até recuperar forças para se alimentar sozinha. No final da recuperação foi submetida a treinos de voo. Foi devolvida à natureza por utentes do Centro Social Nossa Senhora do Carmo.




Apadrinhe uma das nossas crias!

Nas últimas semanas o RIAS tem recebido inúmeras crias de diferentes espécies. 
Nesta altura muitas das espécies já têm crias no ninho e estas começam a experimentar os primeiros voos que por vezes não são bem-sucedidos. 


Ajude-nos a recuperar estes animais apadrinhando-os!
Ao apadrinhar receberá um certificado de apadrinhamento e será convidado a participar na sua devolução à natureza.
O apadrinhamento tem o custo simbólico mínimo de 15€. Deverá enviar o comprovativo de pagamento e a ficha de apadrinhamento preenchida para rias.aldeia@gmail.com. 

Cria de águia-d'asa-redonda

Cria de garça
Cria de gaivota

Cria de peneireiro-vulgar

Cria de mocho-galego


Devolução à Natureza de uma coruja-do-mato

Devolução à Natureza de uma coruja-do-mato (Strix aluco)
Cabanas de Tavira - Tavira
25 de Maio de 2015



Uma coruja-do-mato foi encontrada na zona de Silves por um particular. Era uma cria que tinha caído do ninho e por isso a sua recuperação consistiu em alimentá-la até que crescessem as penas necessárias ao voo. Posteriormente foi submetida a treinos de caça e voo e foi colocada em socialização com outros indivíduos da mesma espécie. Foi devolvida à natureza por voluntários do RIAS.





Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda

Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
Nossa Senhora de Aracelis - Castro Verde
24 de Maio de 2015


Uma águia-d'asa-redonda foi encontrada em Ferreira do Alentejo por um particular e foi reencaminhada para o RIAS num esforço conjunto do SEPNA de Aljustrel, Parque Natural do Vale do Guadiana e Parque Natural da Ria Formosa. O animal apresentava uma fractura na asa esquerda pelo que foi necessário imobilizar a zona afectada e administrar anti-inflamatório. Quando ficou recuperado da lesão foi transferido para uma câmara exterior onde pode treinar o voo e a caça. Foi devolvido à natureza no Festival Terras Sem Sombra, no âmbito da actividade "De olho nas águias".

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Educação ambiental na Ecoteca de Olhão


No passado dia 26 de Maio o RIAS deslocou-se à ecoteca de Olhão para realizar a última sessão desta parceria do ano lectivo. Cerca de 20 alunos puderam aprender mais sobre o RIAS e sobre as nossas espécies de animais selvagens.



quarta-feira, 27 de maio de 2015

Conversas no Museu - "À conversa com o RIAS"


No passado Sábado, dia 23 de Maio, o RIAS participou no ciclo de eventos "Conversas no Museu", realizado no Museu Municipal de Olhão - Edifício do Compromisso Marítimo. O tema da conversa foi o "RIAS e a comunidade" e centrou-se no trabalhos que o centro tem vindo a desenvolver para envolver cada vez mais a população na problemática da conservação da biodiversidade. Esses esforços incluem programas de voluntariado para estudantes e população em geral, actividades e workshops, educação ambiental nas escolas e no nosso centro e campanhas de apadrinhamento de animais em recuperação nas vertentes - individual, escolas e empresas.


Devolução à Natureza de um melro-preto

Devolução à Natureza de um melro-preto (Turdus merula)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Maio de 2015



Um melro-preto foi encontrado por um particular em Faro. Era ainda uma cria que terá caído do ninho, mas não apresentava lesões. A sua recuperação consistiu em alimentação até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Foi devolvido à natureza por técnicos do RIAS.  


terça-feira, 26 de maio de 2015

Educação Ambiental na EB 2,3 Alberto Iria


No passado dia 22 de Maio o RIAS foi até à escola EB 2,3 Alberto Iria em Olhão para mais uma palestra, desta vez para uma turma de 6º ano.
Os alunos puderam aprender mais sobre o RIAS e conhecer alguns animais da nossa fauna, com o recurso a materiais biológicos como patas, crânios e asas.



Devolução à Natureza de um estorninho-preto

Devolução à Natureza de um estorninho-preto (Sturnus unicolor)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Maio de 2015


Um estorninho-preto foi encontrado por um particular em Torre de Aires, logo após ter caído do ninho. O animal era ainda juvenil e não tinha todas as penas necessárias ao voo pelo que foi necessário alimentá-lo até que conseguisse voar. Posteriormente foi submetido a treinos de voo. Foi devolvido à natureza por quem o encontrou e que o chamou de "Luís".






quarta-feira, 20 de maio de 2015

Agradecimento ao Bioparc Doué la Fontaine pelo apoio prestado ao RIAS



O RIAS vem por este meio agradecer a colaboração do Bioparc Doué la Fontaine em todo o processo de transferência de 2 grifos.

Estes 2 animais encontravam-se em recuperação no RIAS mas devido às lesões que apresentavam e que os impossibilitavam de voar, foram considerados irrecuperáveis sendo por isso impossível a sua devolução à natureza.



Neste sentido e mediado pela Vultures Foundation Conservation, foi estabelecido um acordo entre o RIAS e o Bioparc para a transferência destes animais e a sua integração no programa de reprodução em cativeiro desta espécie a decorrer nas instalações deste zoo em França.

O transporte decorreu de acordo com o previsto e, neste momento, os dois grifos estão já acomodados nas suas novas instalações.

O RIAS agradece ainda o importante donativo que esta instituição fez ao nosso centro, e que será utilizado na melhoria das instalações de recuperação para este grupo de animais.


Le centre RIAS apprécie également les dons importants que le zoo nous à fait. Ils seront utilisés dans l'amélioration des installations de récupération pour ce groupe d'animaux.




Para mais informações sobre este tema, por favor consulte o seguinte link: http://rias-aldeia.blogspot.pt/search?q=bioparc.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Saída de Campo em Cacela Velha no âmbito da iniciativa "Passos Contados"



No passado dia 19 de Maio o RIAS participou na iniciativa "Passos contados" do Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela / CMVRSA. Pelas 9h30 cerca de 30 participantes reuniram-se no centro de Cacela Velha para dar inicio a um percurso sob o tema "Pássaros do campo e da ria. Cantos, voos e habitats" guiado por Thijs Valkenburg e Fábia Azevedo. Antes de iniciar o passeio foi devolvida à natureza uma gaivota-de-patas-amarelas recuperada no centro (ver abaixo). O percurso de cerca de 3 horas passou por diferentes habitats e foram possíveis observar e/ou ouvir cerca de 30 espécies.




Devolução à Natureza de uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
Cacela Velha - Vila Real de Santo António
17 de Maio de 2015


Uma gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada em Albufeira e entregue no SEPNA que a encaminhou para o RIAS através dos vigilantes da natureza do Parque Natural da Ria Formosa. Encontrava-se bastante debilitada e desidrata pelo que a sua recuperação consistiu em administração de fluídos e alimentação. A gaivota foi devolvida à natureza por participantes da saída de campo da iniciativa "Passos Contados".


sexta-feira, 15 de maio de 2015

Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais

Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais (Delichon urbicum)
Quinta de Marim - Olhão
13 de Maio de 2015



Uma andorinha-dos-beirais foi encontrada em Faro por um particular que a entregou no RIAS. Era uma cria que tinha caído do ninho pelo que a sua recuperação consistiu em alimentação até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Foi quem a encontrou que a devolveu à natureza.


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Devolução à Natureza de um cágado-mediterrânico

Devolução à natureza de um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa)
Quinta de Marim - Olhão
13 de Maio de 2015


Esta cria de cágado-mediterrânico foi encontrada por um particular numa zona imprópria para a espécie.
Como não apresentava qualquer tipo de lesões foi mantida no centro para observação por uns dias. Apesar de ser bastante jovem já era autónoma pelo que foi devolvida à natureza por uma técnica do Centro.


Devoluções à Natureza de dia 11 de Maio de 2015

Devolução à natureza de um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa
Quinta de Marim - Olhão
11 de Maio de  2015



Este cágado-mediterrânico ingressou no RIAS após ter sido encontrado numa estrada por um particular. Aparentava ter estado em cativeiro por uns tempos, no entanto não apresentava lesões nem comportamentos estranhos à espécie. Foi mantido no centro durante o dia para observação tendo sido devolvido à natureza por visitantes do Parque Natural da Ria Formosa - Quinta de Marim.


Devolução à natureza de um andorinhão-preto (Apus apus)
Quinta de Marim - Olhão
11 de Maio de 2015



O andorinhão-preto foi encontrado no chão por um particular, que o encaminhou para o RIAS, não apresentado qualquer tipo de lesão. 
Como são animais que passam grande parte da sua vida em voo, pousando apenas em situações muito específicas (como para fazer o ninho), precisam  de altura ou um grande impulso para voltar a voar.
Este andorinhão passou o dia em observação no Centro, no fim do qual foi libertado por uma voluntária do RIAS.



Actividade de Educação Ambiental "Pais e Crias"


No passado dia 10 de Maio o RIAS deu início às sessões mensais de educação ambiental "Pais e Crias", com o tema do camaleão.



Esta actividade contou com a presença de 4 crianças e os respectivos acompanhantes, que tiveram a oportunidade de assistir a uma pequena apresentação sobre algumas características do camaleão.

Após a apresentação foram ainda realizados alguns trabalhos manuais referentes à temática da actividade.





quarta-feira, 13 de maio de 2015

Um post dedicado às nossas gaivotas

Com a chegada do Verão e o aumento do número de pessoas nas praias do Algarve o RIAS começa a receber mais gaivotas.
Estas vêm principalmente do barlavento algarvio onde é comum uma doença que debilita estes animais deixando-os sem forças para voarem ou até mesmo para se alimentarem sozinhos. Outras causas de ingresso frequentes nas espécies de gaivota são traumas de diversos tipos e feridas provocadas por anzóis ou redes.
Gaivota que ingressou por doença a ser alimentada com pinça

Por vezes as gaivotas não são muito bem vistas devido à sua grande abundância em certas zonas do país, mas nem todas são muito comuns! Existem diversas espécies em Portugal e a sua distribuição e abundância é muito variada.
No Verão as mais comuns são: gaivota-de-patas-amarelas e gaivota de Audouin. 
No Inverno é possível observar: gaivota-d'asa-escura, gaivotas-de-cabeça-preta, guincho-comum e gaivotas-de-bico-fino, entre outras.

Gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
É a espécie mais comum em Portugal e o estatuto de conservação é Pouco Preocupante.



Gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
É possível observar durante todo o ano, sendo mais comum no Inverno devido à chegada de populações invernantes. Os indivíduos nidificantes na nossa costa apresentam um estatuto de conservação Vulnerável, sendo por isso importante a sua conservação.



Gaivota de Audouin (Larus audouinii)
Esta espécie é estival no Algarve nidificando apenas nas ilhas barreira da Ria Formosa. Outrora foi considerada a espécie de gaivota mais ameaçada do mundo, apresentando actualmente um estatuto de conservação de Vulnerável.



No ano passado, cerca de 28% dos animais que ingressaram no RIAS foram gaivotas e estas representam também uma grande parte no número de animais devolvidos à natureza.

Assim o RIAS quer ressalvar que está disponível para receber estes animais (e todos os animais selvagens da nossa fauna!) sem fazer distinção se são muito ou pouco frequentes. 
Ressalvamos ainda que nos primeiros anos os juvenis destas espécies são muito semelhantes sendo extremamente difícil distingui-los, pelo que é importante que todas as gaivotas feridas sejam reencaminhadas para o RIAS, pois podemos estar perante uma espécie ameaçada.

Gaivota-d'asa-escura juvenil

Gaivota de Audouin juvenil

Gaivota-de-patas-amarelas juvenil

Mais informações sobre o que fazer se encontrar um animal selvagem: http://rias-aldeia.blogspot.pt/p/o-que-fazer-se-encontrar-um-animal.html



Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro

Devolução à natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim - Olhão
10 de Maio de 2015




Este ouriço-cacheiro foi encontrado órfão em Mértola, tendo sido encaminhado para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa. À chegada encontrava-se em estado hipotérmico, desidratado e desnutrido. Após exame físico foi encontrada um infecção fúngica na pele, resultado do seu estado tão débil.
A sua recuperação, para além da alimentação e controlo do peso, consistiu também na administração de antibiótico e anti-inflamatório, até que recuperasse totalmente da infecção.

Após todos os tratamentos e tendo atingido o peso ideal para a sua sobrevivência na natureza, foi libertado pela sua madrinha que o baptizou de "Picudo".