Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2015

Campanha de Apadrinhamento para Empresas


O RIAS recebe durante todo o ano animais de várias espécies, como por exemplo, águias, mochos e corujas, grifos, texugos e fuinhas, que por diversas razões foram feridos e se encontram debilitados, necessitando de recuperação para posterior libertação no habitat natural a que pertencem. Algumas espécies que ingressam no RIAS são bastante emblemáticas nesta região do país e apresentam estatutos de conservação bastante dramáticos como é o caso da águia-pesqueira que se encontra Criticamente em Perigo a nível nacional.
Embora existam meios próprios para gestão e manutenção do centro, é necessário solicitar apoios a particulares, empresas e diversas entidades, no sentido de colmatar algumas carências em termos de material, alimentação e outras necessidades do trabalho diário do RIAS. 

Assim surge a Campanha de Apadrinhamentos para Empresas.



Opções de apadrinhamento*:

·    Apadrinhar um animal: donativo único
·    Apadrinhar uma espécie: donativos anuais (período mínimo de 2 anos)

* Para saber mais sobre os valores de apadrinhamentos contacte-nos.

O que oferecemos:

  - Certificado de apadrinhamento em nome da empresa;
  - Publicitação da empresa no blog do RIAS como madrinha;
 - Possibilidade da devolução do animal num evento da empresa ou com clientes;
  - Mecenato Ambiental;
 - Contribuir para uma maior notoriedade da sua empresa através da sua ligação com a conservação de fauna em Portugal;
 - Associar a imagem da sua empresa com um projecto de recuperação e conservação da fauna local, sensibilizando desta forma toda a comunidade;
 - Outras vantagens podem ser discutidas.

Que espécies pode apadrinhar?

Para saber que espécies temos no momento do apadrinhamento entre em contacto connosco!
Espécies comuns no RIAS:
- Coruja-do-mato (Strix aluco)
- Coruja-das-torres (Tyto alba)
- Mocho-galego (Athene noctua)
- Bufo-real (Bubo bubo)
- Águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
- Peneireiro (Falco tinnunculus)
- Grifo (Gyps fulvus)
- Gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
- Gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
- Melro (Turdus merula)
- Andorinha-dos-beirais (Delichon urbicum)
- Ouriço (Erinaceus europaeus)
- Cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa)


 




Os benefícios do mecenato ambiental

De acordo com a legislação em vigor, a sua empresa, sendo mecenas do RIAS, obterá os devidos benefícios fiscais: ao abrigo do artigo 3º da lei do mecenato (Mecenato Cultural, Ambiental, Desportivo e Educacional - DL 74/1999), a associação ALDEIA é uma entidade elegível podendo ser deduzido 120% do valor total ou 130% no caso do estabelecimento de contractos plurianuais de apoio. Assumimos o compromisso de enviar à sua empresa o comprovativo do montante do donativo recebido (ou valor do material cedido), como previsto na actual legislação.


Campanha de angariação de materiais, Pão de Açucar

No próximo Sábado, 28 de Fevereiro, irá decorrer uma campanha de angariação de bens e materiais para o RIAS.

A acção decorrerá no Pão de Açúcar do Ria Shopping, em Olhão, a partir das 11h.




Ajude-nos na divulgação desta campanha!




Escola de Castro Marim visita o RIAS



No passado dia 23 de Fevereiro, alunos da Escola de Castro Marim visitaram o RIAS no âmbito da Campanha de Apadrinhamento para Escolas. Cerca de 40 crianças do 5º ano tiveram a oportunidade de visitar o nosso centro de interpretação ambiental aprendendo sobre o que faz um centro de recuperação de animais selvagens e sobre as principais espécie que recebemos. Durante a visita puderam ainda tocar em materiais biológicos e pôr em prática os conhecimentos adquiridos através de jogos didácticos.
No final da visita os alunos devolveram à natureza os animais apadrinhados: uma gaivota-de-patas-amarelas e uma rola-turca (ver abaixo).




Devolução à Natureza de uma gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e de uma rola-turca (Streptopelia decaocto)
Quinta de Marim - Olhão
23 de Fevereiro de 2015





Uma gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada por um particular em Portimão e reencaminhada para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa. O animal apresentava sintomas de uma doença debilitante. O tratamento consistiu na administração de fluídos e posterior alimentação assistida.
A rola-turca foi encontrada em Olhão por um particular e encaminhada para o RIAS. Não tinha lesões aparentes pelo que foi mantida para observação.
No final ambos foram submetidos a treinos de voo.
Uma escola de Castro Marim apadrinhou e devolveu estes animais à natureza baptizando-os de "Castro" e de "Marim".




Devolução à Natureza de um grifo

Devolução à Natureza de um grifo (Gyps fulvus)
Alcaria Ruiva - Castro Verde
21 de Fevereiro de 2015




Um grifo foi encontrado em Alzejur e reencaminhado para o RIAS. Apresentava um trauma numa das asas pelo que foi necessário imobilizar a zona afectada e administrar anti-inflamatório. Depois de retirar a ligadura realizou-se fisioterapia. No final foi submetido a treinos de voo. O animal foi devolvido à natureza por quem o apadrinhou e que o baptizou de "Sôr".







Devolução à Natureza de uma gaivota-de-cabeça-preta

Devolução à Natureza de uma gaivota-de-cabeça-preta (Larus melanocephalus)
Quinta de Marim - Olhão
16 de Fevereiro de 2015


Uma gaivota-de-cabeça-preta foi encontrada por um particular na Praia da Rocha, Portimão. Apresentava sintomas de uma doença, estando débil e incapaz de se colocar em pé ou de se alimentar sozinha. Verificou-se também que apresentava um pequeno trauma numa das asas, pelo que foi necessário imobilizar a zona afectada. 
No final foi submetida a treinos de voo. Foi devolvida à natureza por um técnico do RIAS.




Educação Ambiental na Ecoteca de Olhão


No passado dia 10 de Fevereiro o RIAS foi mais uma vez convidado pela Ecoteca de Olhão - Chalé João Lúcio - para realizar uma pequena sessão de sensibilização relativamente a várias problemáticas relacionadas com a nossa fauna selvagem. Desta vez contámos com a presença dos alunos de 2º ano da EB 1 nº1 de Olhão, que assistiram a uma palestra sobre o nosso trabalho no Centro e também sobre algumas espécies da Ria Formosa.


Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda

Devolução à Natureza de uma águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
Robison Club Quinta da Ria - Cacela Velha
7 de Fevereiro de 2015


Esta águia-d'asa-redonda foi encontrada, na zona de Beja, por um particular e encaminhada para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa. Tinha ferimentos numa das asas que aparentavam ser de tiro. A sua recuperação consistiu na desinfecção da ferida, administração de anti-inflamatório e auxílio na alimentação nos primeiro dias. Posteriormente foi submetida a treinos de voo e caça. 
Foi devolvida à natureza por uma funcionária do Robinson Club, que lhe deu o nome de "Robby".

Devolução à Natureza de 3 gaivotas-d'asa-escura

Devolução à Natureza de 3 gaivotas-d'asa-escura (Larus Fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
6 de Fevereiro de 2014


Estas gaivotas-d'asa-escura foram encontradas perto de Lagoa e Quarteira, tendo sido encaminhadas para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa.

Duas delas apresentavam sintomas de uma doença, muito comum nas gaivotas, que incluem debilidade e desidratação extremas, e ainda problemas gastro-intestinais. A sua recuperação consistiu na administração de fluídos, para garantir a hidratação, e alimentação assistida até que estas recuperassem as forças.

A última gaivota ingressou no centro com uma asa fracturada e bastante magra. Foi  necessário imobilizar a asa lesionada e administrar de anti-inflamatórios até que a fractura sarasse. Já com a fractura resolvida foi submetida a fisioterapia, até que o batimento das asas fosse simétrico.


Após os tratamentos necessários à recuperação destas gaivotas todas elas foram submetidas a treinos de voo, tendo sido devolvidas à natureza por voluntários do RIAS. Uma das gaivotas teve foi baptizada de "Luna", nome sugerido por quem a encontrou.


Actividade "Hora do Conto" - Comemoração do Dia Mundial das Zonas Húmidas




Nos dias 4 e 5 de Fevereiro o RIAS deslocou-se à Escola Básica Horta do Carmo no âmbito das comemorações do Dia Mundial das Zonas Húmidas, a convite do Centro de Ciência Viva de Tavira e da Câmara Municipal de Tavira.

O conto "Mauro e Emília", de Ana Mafalda Alves, alertou os alunos das turmas do 2º ano (A, B e C) e também do 4º C para a importância da preservação da nossa fauna selvagem e para a problemática das espécies invasoras.




Após o conto os alunos tiveram ainda a oportunidade de realizar algumas actividades didácticas alusivas ao conto. Os mais novos ajudaram a montar dois cágados com materiais reciclados e os mais velhos construíram o cenário da narrativa. 




Actividade "Hora do Conto" na EB 1 de Marim




No passado dia 2 de Fevereiro o RIAS deslocou-se à EB1 de Marim, em Olhão, a fim de realizar a actividade "Hora do Conto", que contou com cerca de 30 alunos. O conto, intitulado "Mauro e Emília" de Ana Mafalda Alves, remete para a importância da preservação da nossa fauna selvagem e para a problemática das espécies invasoras.

Depois do conto, os participantes tiveram ainda a oportunidade de realizar actividades didácticas relacionas com o mesmo.




Devolução à Natureza de uma águia-pesqueira

Devolução à Natureza de uma águia-pesqueira (Pandion haliaetus)
Ria de Alvor - Portimão
30 de Janeiro de 2015

Esta águia-pesqueira ingressou no RIAS após ter sido encontrada na Ria de Alvor, presa numa rede. O particular encaminhou-a para o centro através dos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa. 
Apesar de ter ficado presa não apresentava lesões estando apenas um pouco fraca, provavelmente por não se conseguir alimentar à alguns dias. A recuperação consistiu em alimentação e treinos de voo. O animal foi devolvido à natureza perto do local onde foi encontrado, com a presença de quem o encontrou, representantes da Câmara Municipal de Portimão e do SEPNA. Foi baptizada de "Esperança".







Melhoria das instalações do RIAS

Na área circundante ao edifício da clínica havia mato e silvas que cobria já toda a parte Este do edifício o que levou à ocorrência de inundações durante o inverno.
Assim a equipa do RIAS pôs mão à obra e procedeu à remoção de toda essa vegetação.

ANTES





DEPOIS




Balanço de 2014

2014 foi um ano de muitos sucessos alcançados!!

- Recebemos 1034 animais (dos quais 126 chegaram mortos ao centro)








  

- Foi possível devolver à Natureza 398 animais!! Taxa de libertação de 42,7%.



- Realizamos 16 intervenções cirúrgicas!



 - Fizemos 200 acções de Educação Ambiental que envolveram cerca de 1800 pessoas!





- Participamos em 19 eventos que, juntamente com todas as acções de Sensibilização Ambiental e visitas ao Centro de Interpretação Ambiental do RIAS, fizeram com que a nossa mensagem chegasse a mais de 7000 pessoas!





- Recebemos 11 estagiários (curriculares, profissionais e mestrados) e cerca de 50 voluntários que nos permitiram realizar todas as tarefas necessárias! 

           





- Demos continuidade a todos projectos em curso, em diversas áreas:

. Marcação e Seguimento de Animais Libertados

. Maneio e Recuperação de Crias





. Recuperação e Maneio de Aves Estepárias


. Monitorização da Avifauna da ETAR de Faro Nascente e da ETAR de Vilamoura


. Toxicologia, Bacteriologia e Microbiologia em Fauna Selvagem
. Rastreio Parasitológico em Aves Selvagens
. Enriquecimento Ambiental para animais em recuperação no RIAS



. Voluntariado Internacional no RIAS


. Projecto LIFE+ Trachemys





- Divulgamos o nosso trabalho nos meios de comunicação social, no blog do RIAS, na nossa página do Facebook e na página da ALDEIA, tendo sido possível chegar no mínimo a cerca de 50000 pessoas!!!


Mais uma vez, a equipa do RIAS e todos os nossos colaboradores estão de Parabéns!!


Muito obrigado a todos os que nos apoiam,  esperamos contar convosco em 2015!!!!