O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Devolução à Natureza de 2 gaivotas-de-patas-amarelas e 2 gaivotas-d'asa-escura

Devolução à Natureza de 2 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e 2 gaivotas-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
3 de Dezembro de 2014



Estas gaivotas foram encontradas em Portimão, Quarteira e Albufeira, tendo sido encaminhadas para o RIAS quer pelos particulares que as encontraram, quer pelo SEPNA/GNR em acções conjuntas com os Vigilantes do Parque Natural de Ria Formosa.

As gaivotas-d'asa-escura ingressaram no RIAS com sintomas de uma doença. Apresentavam paralisia das patas, fraqueza generalizada e desidratação, não sendo capazes de se colocar de pé nem alimentar sozinhas. A recuperação destas duas gaivotas consistiu na administração de fluídos e alimentação assistida até recuperarem forças.

Uma das gaivotas-de-patas-amarelas deu entrada muito débil. Não sendo esta debilidade consequência da doença anteriormente descrita, a sua recuperação consistiu na disponibilização de comida e água.

A última gaivota-de-patas-amarelas ingressou em Julho. Era ainda muito jovem pelo que foi mantida no centro para observação. Ao longo do tempo de observação verificou-se que esta gaivota tinha uma infecção vírica, tendo-se procedido ao tratamento direccionado para tal, até que os sintomas da infecção se dissipassem.

Todas estas gaivotas foram posteriormente submetidas a treinos de voo, tendo sido devolvidas à natureza por técnicas e voluntárias do RIAS, as baptizaram de "R", "I", "A" e "S".



Sem comentários: