O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Voluntariado no RIAS "Dia Giro"


No passado dia 11 de Outubro o RIAS fez parte, pela primeira vez, do "Dia Giro", uma iniciativa da Grace que promove o voluntariado empresarial. Esta iniciativa consiste em incentivar os colaboradores de diversas empresas a trocarem um dia de trabalho por um dia de voluntariado no apoio a diversas causas. Já na sua 8ª edição, este ano a actividade  decorreu em simultâneo em 9 localidades diferentes: Esposende, Braga, Porto, Coimbra, Lisboa, Oeiras, Cascais, Setúbal e Olhão. 
Assim, em parceria com a Grace e o Grupo Flamingo, 29 voluntários de empresas como a Delta Cafés, a ANA- Aeroportos de Portugal, Auchan, Montepio e Vale do Lobo, contribuíram para melhorar as instalações do RIAS. 

As tarefas efectuadas foram - pintura da casa de madeira onde se encontra o CIA, recuperação de jaulas exteriores colocando redes de sombra, retirando vegetação e remendando buracos nas redes, ajudar na limpeza das instalações e distribuição de comida aos animais em recuperação.

Arranjo de buracos nas redes de câmaras exteriores

Pintura da casa de madeira

Colocação de redes de sombra nas câmaras exteriores

Ainda no âmbito desta acção os voluntários participaram na devolução à natureza de diversos animais recuperados no RIAS (ver libertações abaixo).


Devolução à Natureza de 6 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e 1 gaivota-d'asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim - Olhão
11 Outubro 2013





As gaivotas devolvidas à natureza neste dia tinham todas proveniências distintas e diversos motivos de ingresso. Chegaram-nos de locais como Faro, Albufeira, Monte Gordo, Almancil e Olhão, entregues por particulares ou encaminhadas por vigilantes do ICNF.
Várias ingressaram por doença que lhes causava debilidade extrema, incapacitando os movimentos, pelo que o seu tratamento consistiu em alimentação e tratamento especifico no combate à doença. Uma das gaivotas chegou-nos ainda juvenil, não apresentando no entanto qualquer lesão. Outras ainda, ingressaram apresentando diversos traumas como feridas na boca e asa, causadas por fios de pesca e fractura na asa.
Aquando da libertação as gaivotas foram baptizadas de "Paz", "Grace", "Montepio", "Vale do Lobo", "Auchan", "Ana" e "Jumbo".


video


Devolução à Natureza de um gaio (Garrulus glandarius)
Quinta de Marim - Olhão
11 Outubro 2013



Um particular que passava férias em Quarteira manteve uma cria de gaio em cativeiro ilegal tendo-o entregue voluntariamente no RIAS quando as férias terminaram. O animal tinha algumas penas das asas e cauda danificadas e foi necessário seguir o crescimento das penas afectadas até estas se encontrarem em bom estado. Foi ainda submetido a treinos de voo para confirmar se conseguia voar bem e uma vez que se encontrava em perfeitas condições foi devolvido à Natureza por técnicas da Delta Cafés que o baptizaram de "Delta-Giro"

video



Obrigada a todos pela vossa colaboração!

Sem comentários: