O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

RIAS participa na Marcha/Corrida do "Dia Internacional da Mulher”


O RIAS foi convidado novamente pela Associação Oncológica do Algarve a participar na Marcha/Corrida do "Dia Internacional da Mulher” e sem hesitação associou-se logo a esta iniciativa.

A Associação Oncológica do Algarve, no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Mulher, organiza no próximo dia 11 de Março, pelas 10h, em Tavira uma Marcha/Corrida com o principal objectivo de angariar fundos para a construção da “Casa Flor das Dunas”, uma residência temporária de apoio aos doentes oncológicos, em tratamentos na Unidade de Radioterapia do Algarve.

O RIAS junta-se a esta causa, devolvendo à Natureza um peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus) recuperado no nosso centro. A devolução será feita no local.

Esta ave deu entrada nas nossas instalações no dia 20 de Fevereiro bastante debilitado. Durante o seu processo de recuperação a ave recebeu alimentação adequada à espécie até recuperar a condição física ideal. Durante este período a ave esteve sempre em contacto com outros da mesma espécie de modo a se evitar a domesticação do animal. No processo final da recuperação, o peneireiro foi transferido para uma câmara exterior de grandes dimensões onde pode treinar o voo e caça.

Curso de Iniciação: Identificação e Ecologia de Répteis e Anfíbios


Nos dias 12 e 13 de Maio o RIAS irá organizar o Curso de Iniciação à Identificação e Ecologia de Répteis e Anfíbios.

Esta formação irá dar a conhecer as principais espécies de répteis e anfíbios que ocorrem no nosso país, focando as principais características que os diferenciam, os seus ciclos de vida, os habitats onde ocorrem e os factores de pressão. Durante a formação também se irão focar os projectos de conservação destes dois grupos que estão a decorrer em Portugal (LIFE+Trachemys e Charcos com Vida) e nos resultados obtidos desde o inicio das suas acções de conservação.

Programa
Sábado, 12 de Maio:

15h – 15:30h: Recepção dos participantes

15:30h – 16h: Introdução aos anfíbios: principais características morfológicas e importância ecológica;

16h – 17h: Anfíbios de Portugal – Identificação, biologia, habitat e distribuição das espécies existentes em Portugal;

17h – 17:30h: Pausa para café;

17h – 18h: Principais ameaças em Portugal e métodos de conservação;

18h – 18:45h: Apresentação do Projecto “Charcos com Vida” e principais resultados;

18:45h – 19:30h: A importância dos Centros de Recuperação de Fauna Selvagem na conservação de Anfíbios e Répteis em Portugal;

19:30h – 21h: Pausa para Jantar;

21h – 23h: Saída nocturna para observação e identificação de anfíbios.


Domingo, 13 de Maio:

09h – 09:30h: Introdução aos répteis: principais características morfológicas e importância ecológica;

09:30h – 10:30h: Répteis de Portugal – Identificação, biologia, habitat e distribuição das espécies existentes em Portugal;

10:30h – 11h: Pausa para café;

11h – 12h: Principais ameaças em Portugal e métodos de conservação;

12h – 13h: Apresentação do projecto LIFE+Trachemys e dos principais resultados;

13h – 14:30h: Pausa para Almoço;

14h30 – 18h00: Saída diurna para observação e identificação de Répteis;

18h: Encerramento do Curso.

Todas as informações encontram-se disponíveis no site da ALDEIA.
Inscreva-se já aqui!

I Curso de Iniciação à Fotografia e Vídeo da Natureza


Entre 31 de Março e 1 de Abril, o RIAS, em conjunto com a empresa FullImage, irá organizar em Olhão o I Curso de Iniciação à Fotografia e Vídeo da Natureza.

A fotografia e vídeo de natureza oferecem uma grande diversidade de temas interessantes, tais como as plantas, os animais, os fungos as paisagens naturais ou até geologia.

A arte de fotografar é algo que se aprende e se desenvolve com muita prática, contudo, existem muitas técnicas, e algumas delas difíceis, que necessitam uma formação teórica e acompanhamento pessoal para o ajudar a evoluir. Embora os princípios fundamentais de fotografia sejam já estabelecidos há décadas, os avanços tecnológicos têm possibilitado aos fotógrafos amadores grandes melhorias na obtenção de  imagens a custos relativamente pouco elevados, o que, num passado recente estava reservado aos fotógrafos profissionais.

Por outro lado, a introdução do vídeo como uma nova ferramenta na captação de filmes de natureza é ainda uma técnica pouco conhecida e pouco praticada actualmente. No entanto, o seu potencial é enorme e dada a grande quantidade emergente de novos equipamentos cada vez mais acessíveis a operadores de câmara amadores, efectuar um curso de fotografia e vídeo é altamente recomendável, quer esta actividade seja apenas um passatempo, quer tenha um papel mais importante na sua vida.

Programa
Sábado, 31 de Março:

09h – 09:30h: Apresentação dos formandos e do curso;

09:30h – 11:30h: Iniciação a fotografia:
       - Tipos de câmaras;
       - Velocidades;
       - Aberturas relativas;
       - Temperatura de cor;

11:30h – 12h: Pausa para café;

12h – 13h: Iniciação ao vídeo:
      - Introdução a câmara de vídeo;
      - O olho humano e a câmara de vídeo;
      - O que é a luz;
      - Visionamento de vídeos;

13h – 14:30h: Pausa para almoço;

14:30h – 15:30h: Continuação da iniciação ao vídeo:
      - O Principio das imagens em movimento;
      - Bloco Electrónico;
      - Cor-luz e Cor Pigmento;

15:30h – 18:30h: Saída diurna para fotografar e filmar.


Domingo, 1 de Abril:

09h – 11h: Analise das imagens realizadas no dia anterior;

11h – 11:30h: Pausa para café;

11:30h – 13h: Continuação da análise e esclarecimentos de dúvidas;

13h – 14:30h: Pausa para Almoço;

14:30h – 18h: Saída diurna para fotografar e filmar;

18h: Encerramento do curso.

Todas as informações encontram-se disponíveis no site da ALDEIA.
Inscreva-se já aqui!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Acção de Educação Ambiental em Alte

No dia 28 de Fevereiro o RIAS esteve presente na escola EB1 de Alte onde realizou uma acção de educação ambiental que envolveu 19 alunos do 3º ano com o tema "As aves e a sua alimentação". Esta actividade foi organizada em colaboração com a Associação ALMARGEM e a Câmara Municipal de Loulé.

Os participantes assistiram a uma palestra realizada por técnicos do centro onde deram a conhecer o RIAS e um pouco mais sobre as principais aves que ocorrem no centro. Durante esse período puderam também ver de perto material biológico como bicos, asas e patas de aves focando as suas adaptações aos tipos de habitat e alimentação.
 




Saída de Campo para Observação de Aves

No passado domingo (dia 26 de Fevereiro) o RIAS organizou uma saída de campo nas salinas de Tavira para observação de aves. Durante a manhã foram realizados alguns percursos, de carro e a pé de forma a conseguir-se observar um maior número de habitats e assim um maior número de espécies.

A saída contou com a presença de 20 participantes.




Lista de espécies observadas:
- Larus michahellis – Gaivota-de-patas-amarelas
- Larus fuscus – Gaivota-d´asa-escura
- Larus melanocephalus – Gaivota-de-cabeça-preta
- Larus ridibundus – Guincho
- Phalacrocorax carbo – Corvo-marinho-de-faces-brancas
- Ardea cinerea – Garça-real
- Egretta garzetta – Garça-branca-pequena
- Himantopus himantopus – Pernilongo
- Tringa totanus – Perna-vermelha
- Pluvialis squatarola – Tarambola-cinzenta
- Tringa nebularia – Perna-verde
- Limosa lapponica – Fuselo
- Numenius phaeopus – Maçarico-galego
- Limosa limosa – Maçarico-de-bico-direito
- Haematopus ostralegus – Ostraceiro
- Charadrius hiaticula – Borrelho-grande-de-coleira
- Arenaria interpres – Rola-do-mar
- Calidris alba – Pilrito-das-praias
- Calidris alpina – Pilrito-comum
- Hirundo rustica – Andorinha-das-chaminés
- Turdus merula – Melro
- Serinus serinus – Chamariz
- Sylvia melanocephala – Totinegra-de-cabeça-preta
- Pica Pica – Pega-rabuda
- Phylloscopus collybita – Felosa-comum
- Carduelis carduelis – Pintassilgo
- Carduelis cannabina – Pintarroxo
- Emberiza calandra – Trigueirão
- Galerida cristata – Cotovia-de-poupa
- Sturnus unicolor – Estorninho-preto
- Cisticola juncidis – Fuinha-dos-juncos
- Passer domesticus – Pardal-comum
 


No final da saída realizou-se a devolução à natureza de uma águia-de-asa-redonda (Buteo buteo) que contou com a presença dos participantes da saída e dos padrinhos que a baptizaram de "Esperança".



quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Libertações: 22 de Fevereiro de 2012

Devolução à natureza de 2 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e 1 gaivota-de-asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim, Olhão


Estas três gaivotas deram entrada vindas de Alvor, Parchal e Armação de Pêra entre Novembro de 2011 e Janeiro de 2012 após terem sido recolhidas e entregues no centro por particulares e por uma equipa da GNR/SEPNA-Faro.

As três gaivotas apresentavam sintomas compatíveis com doença gastrointestinal pelo que o seu processo de recuperação consistiu numa primeira fase em: fluidoterapia; alimentação cuidada; e descanso. Mais tarde foram transferidas para uma câmara de muda exterior onde lhes foi possível exercitar o voo, juntamente com outras aves da mesma espécie.

Após verificar-se que as aves tinham recuperado a sua capacidade de voar, os técnicos procederam à sua libertação na Quinta de Marim. A libertação não ocorreu no local onde foram recolhidas de forma a se evitar a reincidência do problema, que poderá estar relacionado com a ingestão de alimentos contaminados. Na libertação estiveram presentes duas voluntárias, entre elas Chantal Schade, a voluntária mais nova do RIAS. :)



Libertação: 17 de Fevereiro de 2012

Devolução à natureza de 1 mocho-galego (Athene noctua)
Santo Estevão, Tavira


Após ter sido encontrado na freguesia de Santa Maria (Tavira), este mocho-galego foi recolhido por um particular no dia 17 de Junho de 2011 e entregue no RIAS.

Ao dar entrada a equipa medico-veterinária verificou que o animal se encontrava bastante apático e debilitado. Deste modo permaneceu numa câmara de pequenas dimensões onde recebeu alimentação. Após já se alimentar sozinho, a ave foi transferida para uma câmara média onde continuou a receber alimentação e pode treinar o voo. No final do processo de recuperação foi transferido para uma câmara exterior de grandes dimensões onde pode treinar o voo e a caça.

Assim que se verificou que a ave apresentava todos os comportamentos naturais da espécie procedeu-se à sua libertação que decorreu no final da festa de Carnaval, na Escola do Malhão em Santo Estevão, na presença de várias crianças do 1º ao 4º ano e dos seus pais.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Workshop: Anatomia e Necrópsia de Aves Selvagens

Entre 23 e 25 de Março, a Associação ALDEIA e o RIAS irão organizar no Parque Natural da Ria Formosa, em Olhão, mais uma edição do Workshop de Anatomia e Necrópsias de Aves Selvagens.

Este evento, dirigido a estudantes e profissionais das áreas da Medicina Veterinária, Biologia e outras Ciências Ambientais, pretende disponibilizar informação sobre anatomia comparada de aves selvagens, com destaque para os aspectos de maior relevância para a clínica de recuperação, abordando também as técnicas e a importância do exame post mortem.

A formação será dada por Ricardo Brandão, coordenador e médico veterinário do Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens (CERVAS), e Hugo Lopes, coordenador técnico  do Centro de Recuperação de Animais Selvagens de Montejunto e co-coordenador e médico veterinário do RIAS.

Programa:
23 de Março, Sexta-feira
(local: Quinta de Marim - Parque Natural da Ria Formosa, Olhão)

17:00 – Secretariado
18:00 – Apresentações

18:30 – 20:30 – Taxonomia, morfologia e topografia de aves selvagens
- Anatomia externa comparada
- Identificação de espécies
- Aspectos anatómicos mais relevantes

Programa:
24 de Março, Sábado
(local: Quinta de Marim - Parque Natural da Ria Formosa, Olhão)

9:00 – 11:00 – Anatomia de aves selvagens
- Sistema Músculo-esquelético
- Anatomia e Fisiologia Respiratória
- Anatomia e Fisiologia Digestiva
- Integumento

11:00 – 11:30 – Intervalo

11:30 – 13:00 – Doenças das aves selvagens
- Patofisiologia das principais doenças
- Lesões macroscópicas mais comuns

13:00 – 15:00 – Pausa para almoço

15:00 – 17:00 – Técnicas de Necrópsia de aves selvagens
- apresentação de vídeos de necrópsias de várias espécies de aves

17:00 – 17:30 – Intervalo 

17:30 – 19:00 - Aspectos médico-legais
- Determinação das principais causas de morte
- Introdução às técnicas de estimação da data da morte
- Aspectos legais
- Recolha de amostras durante as necrópsias
- Elaboração de relatórios
- Casos práticos

Programa:
25 de Março, Domingo
(local: Quinta de Marim - Parque Natural da Ria Formosa, Olhão)


10:00 – 12:30 – Realização de necrópsias (sessão prática I)

- realização de necrópsias de diferentes espécies, por parte dos participantes, divididos em vários grupos de trabalho.

12:30 – Pausa para almoço

15:00 – 17:30 – Realização de necrópsias (sessão prática II)

- realização de necrópsias de diferentes espécies, por parte dos participantes, divididos em vários grupos de trabalho.

18:00 – Encerramento

Todas as informações encontram-se disponíveis no site da ALDEIA.

Inscreva-se já aqui!