O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Libertação: 30 de Março de 2011

Libertação de um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa)
Quinta de Marim - Olhão

Ontem foi devolvido à natureza um cágado-mediterrânico que tinha sido entregue no RIAS por particulares. Este animal tinha uma fractura de carapaça antiga, devido a um atropelamento.


video


Nesta devolução estiveram presentes os particulares que entregaram o animal bem como alguns colaboradores do RIAS.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Saída de Campo: Observação de Aves por Terras Algarvias


PARTICIPAÇÃO GRATUITA

Ponto de Encontro: Bomba de Gasolina de Salir (8h)

Percurso: Serão realizados vários percursos de carro e a pé, com paragem em pontos de observação e escuta de aves.

Material recomendado:

- Binóculos
- Telescópio
- Guia de Aves
- Roupa e calçado confortável
- Protector solar
- Chapéu
- Água

A visita será organizada e guiada por técnicos e colaboradores da ALDEIA-RIAS.


Inscrição: Por motivos logísticos agradecemos que confirme a sua presença para o seguinte email: rias.aldeia@gmail.com

Contactos:
Correio electrónico: rias.aldeia@gmail.com
Telefone: 927659313

terça-feira, 29 de março de 2011

Libertação: 29 de Março de 2011

Libertação de uma gaivota-de-asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim, Olhão

O RIAS devolveu hoje à Natureza uma gaivota-de-asa-escura que se encontrava em recuperação neste centro.

Este animal foi encontrado e recolhido por um colaborador do RIAS, perto das docas de Portimão.
Durante o exame clínico foi possível verificar que a ave estava magra, débil, tinha dificuldade em respirar e não mexia os membros posteriores. Uma vez que também apresentava transtornos gastrointestinais, o processo de recuperação consistiu, numa primeira fase, em fluidoterapia e descanço.
Após o animal ter recuperado forças, foi transferido para uma câmara de muda onde lhe foi possível exercitar o voo e conviver com outras aves da mesma espécie.

Devido aos sinais clínicos apresentados, decidiu-se não libertar a ave no mesmo local, de forma a evitar a reincidência do problema, que poderia estar relacionado com a ingestão de alimentos contaminados.

Foi devolvida à Natureza pela mesma pessoa que a encontrou, baptizando-a de Fábia.



video


Este animal foi anilhado com uma anilha metálica e outra anilha de cor com a seguinte inscrição: F021 preta. O RIAS vem por este meio solicitar a quem observar este animal que nos comunique para: rias.aldeia@gmail.com

segunda-feira, 28 de março de 2011

Libertação: 27 de Março de 2011

Libertação de 1 ganso-patola (Morus bassanus)
Olhão

No passado dia 27 de Março foi devolvido à Natureza um ganso-patola, até então em recuperação no RIAS.

Esta ave foi encontrada e recolhida por um particular, que posteriormente a entregou no nosso centro. Durante o exame clínico foi detectado que, para além de alguma debilidade, a ave possuía uma ferida numa das asas, provavelmente devido a uma linha ou anzol. O processo de recuperação consistiu no tratamento da ferida e uma alimentação adequada para esta espécie. Após a cicatrização total e o respectivo crescimento das penas, a ave foi colocada numa câmara exterior para testar a sua impermeabilização à água.

Finalmente terminado o seu processo de recuperação, o animal foi devolvido à Natureza pelo particular que o encontrou.



video


O RIAS gostaria de agradecer o apoio da Polícia Marítima de Olhão nesta nossa actividade.

sábado, 26 de março de 2011

Libertação: 26 de Março de 2011

Libertação de um corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo)
Quinta de Marim - Olhão

À semelhança de ontem, hoje foi devolvido à natureza um corvo-marinho-de-faces-brancas que foi recolhido dentro das instalações do IPIMAR na Quinta de Marim. O animal também se encontrava preso nas redes de cobertura dos tanques desta instituição e foi recolhido por técnicos do RIAS.

Após um exame físico e uma vez que não apresentava lesões, este indivíduo macho foi devolvido à natureza depois de um dia de descanso e alimentação nas nossas instalações. Nesta acção estiveram presentes técnicos e colaboradores do RIAS que o baptizaram de "Peter".

video

sexta-feira, 25 de março de 2011

Poesias do RIAS

O RIAS apresenta uma nova rubrica dedicada à poesia sobre fauna selvagem autóctone.

A primeira publicação é da autoria de um dos nossos estagiários, Mauro Hilário, a quem desde já agradecemos a inspiração.


Corvo-marinho-de-faces-brancas

Grandes aves marítimas morenas,
bastante coloridas são as suas faces.
Impermeáveis são as suas penas,
que de redes precisam de desenlaces.

Ao sol quente secam as suas asas,
e mergulham para apanhar o peixe.
Os pescadores os querem nas brasas,
mas ainda há quem lute e não deixe.

Phalacrocorax carbo
Fotografia de Thijs Valkenburg


Caso pretenda colaborar nesta rubrica, por favor envie-nos as suas poesias para:

Libertação: 25 de Março de 2011

Libertação de um corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo)
Quinta de Marim - Olhão

Hoje foi devolvido à natureza um corvo-marinho-de-faces-brancas que foi recolhido dentro das instalações do IPIMAR na Quinta de Marim. O animal encontrava-se preso nas redes de cobertura dos tanques desta instituição e foi recolhido por técnicos do RIAS.


Após um exame físico e uma vez que não apresentava lesões, foi devolvido à natureza depois de um dia de descanso e alimentação nas nossas instalações. Nesta acção estiveram presentes técnicos e colaboradores do RIAS que o baptizaram de "Zé Jesus".

video

quinta-feira, 24 de março de 2011

Jornadas Formativas: Biologia, Captura e Manuseamento de Cágados Exóticos e Autóctones

A introdução de espécies exóticas é um dos principais problemas da conservação da biodiversidade. Na Europa, o caso das tartarugas aquáticas alóctones é especialmente preocupante para as espécies autóctones Emys orbicularis (cágado-de-carapaça-estriada) e Mauremys leprosa (cágado-mediterrâneo).




Cágado-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis)

Para reduzir este impacto pôs-se em marcha o projecto LIFE-Trachemys (LIFE09 NAT/ES/000529), co-financiado pela Comissão Europeia, para o seu desenvolvimento em 17 zonas húmidas da Generalidade Valenciana e Portugal.


Os objectivos principais deste projecto são a diminuição da perda de biodiversidade aquática devido à presença de tartarugas exóticas, sobretudo de Trachemys scripta; a criação de uma estratégia de erradicação de populações selvagens de tartarugas exóticas invasoras; a conservação das populações actuais de anfíbios e tartarugas autóctones e a informação e sensibilização da sociedade para a problemática causada pela libertação de espécies exóticas na natureza e evitar esta prática tão habitual.


Estando este projecto numa fase inicial surgiu a necessidade de formar técnicos e possíveis colaboradores. Neste sentido, decorrereu no passado dia 22 de Março na Universidade de Faro, uma sessão formativa teórico-prática sobre esta temática, organizada pela Associação ALDEIA - RIAS.



Os formadores desta acção foram José Teixeira - coordenador do CIBIO-Div e coordenador nacional do Projecto Life Trachemys e Cesar Ayres da Asociacíón Herpetológica Española.





Estas jornadas tiveram como principais objectivos a formação de potenciais colaboradores interessados em integrar a equipa do projecto e a divulgação do projecto para diferentes entidades.




Caso pretenda saber mais informações sobre este projecto e como colaborar voluntariamente no trabalho de campo, por favor contacte-nos: rias.aldeia@gmail.com


Agradecemos ainda o apoio logístico do NEBUA/UAlg e da Polis Litoral Ria Formosa.

Saída de Campo: Observação de Aves por Terras Algarvias

No passado dia 20 de Março, o RIAS realizou uma saída de campo para observação de aves por terras algarvias. As zonas incluídas nesta actividade foram as salinas da Fuseta e a Quinta de Marim.

Foram observadas 42 espécies diferentes nomeadamente:

  • Corvo-marinho (Phalacrocorax carbo)
  • Carraceiro (Bubulcus ibis)
  • Garça-branca (Egretta garzetta)
  • Garça-real (Ardea cinerea)
  • Cegonha-branca (Ciconia ciconia)
  • Colhereiro (Platalea leucorodia)
  • Pato-real (Anas platyrhynchos)
  • Pernilongo (Himantopus himantopus)
  • Alfaiate (Recurvirostra avosetta)
  • Borrelho-grande-de-coleira (Charadrius hiaticula)
  • Borrelho-de-coleira-interrompida (Charadrius alexandrinus)
  • Tarambola-cinzenta (Pluvialis squatarola)
  • Pilrito-das-praias (Calidris alba)
  • Pilrito-pequeno (Calidris minuta)
  • Pilrito-de-peito-preto (Calidris alpina)
  • Milherango (Limosa limosa)
  • Fuselo (Limosa lapponica)
  • Maçarico-galego (Numenius phaeopus)
  • Maçarico-real (Numenius arquata)
  • Perna-vermelha (Tringa totanus)
  • Perna-verde (Tringa nebularia)
  • Rola-do-mar (Arenaria interpres)
  • Gaivota-de-cabeça-preta (Larus melanocephalus)
  • Guincho (Chroicocephalus ridibundus)
  • Gaivota-d’asa-escura (Larus fuscus)
  • Gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis)
  • Garajau-grande (Sterna caspia)
  • Guarda-rios (Alcedo atthis)
  • Cotovia-de-poupa (Galerida cristata)
  • Andorinha-das-barreiras (Riparia riparia)
  • Andorinha-das-chaminés (Hirundo rustica)
  • Andorinha-dos-beirais (Delichon urbica)
  • Alvéola-amarela (Motacilla flava)
  • Fuinha-dos-juncos (Cisticola juncidis)
  • Toutinegra-dos-valados (Sylvia melanocephala)
  • Toutinegra-carrasqueira (Sylvia cantillans)
  • Felosa-musical (Phylloscopus trochilus)
  • Pardal (Passer domesticus)
  • Picanço-barreteiro (Lanius senator)
  • Pisco-de-peito-ruivo (Erithacus rubecula)
  • Felosa-comum (Phylloscopus collybita)
  • Chasco-cinzento (Oenanthe oenanthe)

Esta visita foi guiada por Thijs Valkenburg colaborador do RIAS.

terça-feira, 22 de março de 2011

Curso Prático: Construção, Gestão e Monitorização de Charcos para a Vida Selvagem

Nos dias 19 e 20 de Março, o RIAS/ALDEIA organizou um curso prático dedicado à construção de charcos para a vida selvagem, onde estiveram presentes cerca de 27 participantes.



Este curso prático surgiu no âmbito do projecto "Charcos com Vida" do CIBIO-Div e teve como principal objectivo despertar a curiosidade dos participantes para a construção de charcos, proporcionando os conhecimentos básicos sobre o seu ciclo de vida, a fauna e flora associada, e como se deve proceder para a sua construção.

As saídas de campo tiveram lugar dentro da Quinta de Marim e foi possível observar e identificar várias espécies de anfíbios e insectos:

  • Sapo-de-unha-negra (Pelobates cultripes);
  • Rela-meridional (Hyla meridionalis);
  • Sapo-corredor (Epidalea calamita);
  • Rã-verde (Rana perezi)
  • Larvas de libélula;
  • Barqueiros;
  • Larvas e adultos de escaravelho de água;
  • Pulgas de água;
  • Alfaiates.







No último dia, os participantes construíram um charco dentro das instalações do RIAS, que será futuramente utilizada na recuperação de aves limícolas.




O RIAS gostaria de agradecer a todos os que, de alguma forma, contribuíram para a realização desta actividade, em especial a Kodis, Polis Litoral e o PNRF pelo apoio logístico. Obrigado!

Acção de Voluntariado INUAF

No dia 19 de Março, o RIAS recebeu nas suas instalações os alunos das licenciaturas em Gestão de Bio Recursos e Turismo Sustentável do Instituto Superior D. Afonso III, para um dia totalmente dedicado ao voluntariado.





Esta actividade teve como principal objectivo a manutenção contínua do centro de recuperação, nomeadamente a remoção de redes degradadas e reabilitação de algumas câmaras de muda exteriores. Os alunos também contribuíram para a construção de um charco exterior que irá permitir a recuperação de aves limícolas.

Adicionalmente, este grupo de voluntários apadrinhou um Abutre-preto (Aegypius monachus) em recuperação no RIAS.






O RIAS gostaria de agradecer a participação de todos os presentes nesta actividade, bem como a adesão à nossa Campanha de Angariação de Material '11.


sexta-feira, 18 de março de 2011

Peddy Paper no RIAS

No passado dia 16 de Março foi organizado um peddy paper na Quinta de Marim para 22 crianças do 4º ano da escola Largo da Feira de Olhão.

Esta actividade foi desenvolvida por alunos do 12º da Escola Secundária de Olhão no âmbito da disciplina de Área de Projecto.


O objectivo do peddy paper foi sensibilizar as crianças para a biodiversidade existente na Ria Formosa e apresentar o trabalho do RIAS.

A actividade iniciou com uma breve apresentação do RIAS no Centro de Interpretação Ambiental.


Realizaram-se diversas provas ao longo de um percurso onde as crianças tiveram oportunidade de contactar e conhecer o espaço natural da Quinta de Marim bem como o Moinho de Maré, a Sede do Parque Natural da Ria Formosa e o canil do Cão de Água Português.


quinta-feira, 17 de março de 2011

Workshop de Anatomia e Necrópsia de Aves Selvagens

Entre os dias 4 e 6 de Março, o RIAS/ALDEIA organizou a 2ª Edição do Workshop de Anatomia e Necrópsia de Aves Selvagens, que teve lugar na sede do Parque Natural da Ria Formosa (Quinta de Marim, Olhão).





Esta actividade contou com cerca de 34 participantes, obtendo uma classificação final de 8,25 (escala de 0 a 9).

Gostariamos de agradecer a todos os que apoiaram esta nossa iniciativa.

Libertação: 15 de Março de 2011

Libertação de um peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus) e de um bufo-real (Bubo bubo)
Azenhas de Mértola

No passado dia 15 de Março foram devolvidos à natureza dois animais recuperados no RIAS que ingressaram devido a cativeiro ilegal.


O peneireiro-vulgar foi capturado enquanto cria e mantido em cativeiro ilegal. Após uma denúncia foi apreendido pelas autoridades e encaminhado para o RIAS pelos vigilantes da natureza do Parque Natural do Vale do Guadiana. O processo de recuperação deste animal consistiu em mantê-lo em contacto com outros indivíduos da mesma espécie, no sentido de recuperar os instintos naturais, fez também treinos de voo e caça.


Nesta libertação estiveram presentes alunos e professores da escola EB 2,3 ES de São Sebastião de Mértola e um representante do Parque Natural do Vale do Guadiana (ICNB). O peneireiro foi baptizado de "Tomás do Guadiana".


video


O bufo-real foi recolhido pelo SEPNA de Moura nesta localidade e entregue no RIAS por técnicos do Parque Natural do Vale do Guadiana. Esta rapina nocturna encontrava-se em cativeiro ilegal na casa de um particular e, como tal, o seu processo de recuperação consistiu também em socialização com outros animais, evitando ao máximo o contacto com os técnicos do centro. Foi também sujeito a treinos de voo e caça encontrando-se neste momento apto para ser devolvido à natureza.


Esta devolução foi precedida de uma palestra em sala sobre o trabalho do RIAS e sobre a biologia e ecologia do bufo-real nas instalações da ALSUD.


A esta devolução assistiram alunos e professores da escola profissional ALSUD e alguns particulares.

video


Este bufo-real foi baptizado de "Cinda Papoila" e "Achmed".

Estas acções foram desenvolvidas em colaboração com o Parque Natural do Vale do Guadiana (ICNB) a quem desde já agradecemos o apoio na organização.

terça-feira, 15 de março de 2011

Jornadas Formativas: Captura e Manuseamento de Cágados Exóticos e Autóctones


A introdução de espécies exóticas é um dos principais problemas da conservação da biodiversidade. Na Europa, o caso das tartarugas aquáticas alóctones é especialmente preocupante para as espécies autóctones Emys orbicularis (cágado-de-carapaça-estriada) e Mauremys leprosa (cágado-mediterrâneo).

Para reduzir este impacto pôs-se em marcha o projecto LIFE-Trachemys, co-financiado pela Comissão Europeia, para o seu desenvolvimento em 17 zonas húmidas da Generalidade Valenciana e Portugal. Os objectivos principais deste projecto são a diminuição da perda de biodiversidade aquática devido à presença de tartarugas exóticas, sobretudo de Trachemys scripta; a criação de uma estratégia de erradicação de populações selvagens de tartarugas exóticas invasoras; a conservação das populações actuais de anfíbios e tartarugas autóctones e a informação e sensibilização da sociedade para a problemática causada pela libertação de espécies exóticas na natureza e evitar esta prática tão habitual.

Estando este projecto numa fase inicial surge a necessidade de formar técnicos e possíveis colaboradores. Neste sentido, decorrerá na Universidade de Faro, uma sessão formativa teórico-prática sobre esta temática, organizada pela Associação ALDEIA - RIAS.


PROGRAMA

Componente teórica:
10:00 - 12:00 - Biologia, identificação e métodos de cágados exóticos e autóctones.

Componente práctica:
14:00 - 17:00 - Técnicas de captura, manuseamento e marcação de cágados.


LOCAL

Anfiteatro D - Complexo Pedagógico - Gambelas - Universidade do Algarve


Participação GRATUITA


INSCRIÇÕES

Por favor confirme a sua presença para o seguinte email: rias.aldeia@gmail.com


segunda-feira, 14 de março de 2011

Libertação: 09 de Março de 2011

Libertação de 1 Texugo-europeu (Meles meles)
Castro Marim

No passado dia 9 de Março, o RIAS devolveu à Natureza um texugo fêmea que se encontrava em recuperação no centro.
Este animal foi encontrado por um particular, que posteriormente comunicou aos vigilantes da natureza da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António. Após a sua recolha, este foi entregue no RIAS para avaliação clínica, uma vez que o animal se encontrava num buraco de aproximadamente 3m de profundidade e não se alimentava há alguns dias.



Durante o exame clínico foi-lhe diagnosticada uma luxação coxo-femoral traumática (desarticulação da cabeça do fémur com a bacia). O animal também estava desidratado e subnutrido.





Sob anestesia foi possível recolocar o fémur na posição normal tendo sido aplicada uma ligadura específica (ligadura de Ehmer) de modo a proteger a articulação nos primeiros dias. O restante tratamento consistiu em repouso, medicação anti-inflamatória e protector articular.



Após um mês de recuperação, este texugo readquiriu a capacidade de caminhar normalmente e uma vez que não apresentava mais nenhum problema, foi devolvido à Natureza perto do local de proveniência.


video

sábado, 5 de março de 2011

Projecto: “Estratégias e técnicas demonstrativas para a erradicação de cágados invasores”


 

Sob a denominação completa de “Estratégias e técnicas demonstrativas para a erradicação de cágados invasores”, o Projecto LIFE Trachemys (LIFE09 NAT/ES/000529) integra-se no Programa LIFE+, um instrumento financeiro para a conservação e protecção da natureza na União Europeia, que co-financia iniciativas ambientais nos estados membros da União Europeia.

Este projecto está incluido na secção “LIFE+ Biodiversidade” que visa desenvolver projectos inovadores ou de demonstração que contribuem para a concretização dos objectivos da Comissão Europeia “Travar a perda de Biodiversidade”.

Sendo um projecto internacional, desenvolvido em Portugal e Espanha, conta com a participação e troca de experiências entre os beneficiários coordenadores e os beneficiários associados:


Beneficiário Coordenador Geral:


Beneficiário Coordenador Nacional:


Beneficiários Associados:





Co-financiamento Comunitário:



Equipa LIFE+ Trachemys

Da esquerda para a direita: Ignacio Lacomba Andueza (Generalitat Valenciana/VAERSA), Fábia Azevedo (ALDEIA/RIAS), Bruno Herlander Martins (CIBIO-UP), José Teixeira (CIBIO-UP), Ana Alves (Águas e Parque Biológico de Gaia) e Vicente Sancho Alcayde (Generalitat Valenciana/VAERSA)



A introdução de espécies exóticas é um dos principais problemas da conservação da biodiversidade. Na Europa, o caso das tartarugas aquáticas alóctones é especialmente preocupante para as espécies autóctones Emys orbicularis (cágado-de-carapaça-estriada) e Mauremys leprosa (cágado-mediterrânico).



Emys orbicularis (cágado-de-carapaça-estriada)



Para reduzir este impacto pôs-se em marcha o projecto LIFE+ Trachemys, co-financiado pela Comissão Europeia, para o seu desenvolvimento em 17 zonas húmidas da Generalidade Valenciana e Portugal.


Os objectivos principais do projecto são:

- Diminuir a perda de biodiversidade aquática devido à presença de tartarugas exóticas, sobretudo de Trachemys scripta.
- Criar uma estratégia de erradicação de populações selvagens de tartarugas exóticas invasoras.
- Conservar as populações actuais de anfíbios e tartarugas autóctones.- Desenvolver regulamentos específicos para evitar o comércio e o uso de tartarugas invasoras como animais de estimação bem como a sua libertação em meio natural. - Informar a sociedade para a problemática causada pela libertação de espécies exóticas na natureza e evitar esta prática tão habitual. - Pôr em prática a metodologia e técnicas propostas em zonas piloto para demonstrar a sua adequabilidade e viabilidade.



Uma vez demonstrada a adequabilidade da metodologia e técnicas propostas para a sua réplica em outras áreas com este problema, esperamos conseguir os seguintes resultados: - Desenvolvimento de um protocolo padrão e um manual de métodos e técnicas para a erradicação de populações de tartarugas exóticas invasoras; - Aplicação do protocolo em zonas húmidas piloto situadas em Espanha e Portugal; - Demonstração da viabilidade de novas técnicas para a detecção de áreas de nidificação de tartarugas exóticas; - Colheita de ovos e indivíduos em populações naturalizadas de tartarugas exóticas; - Reforço populacional de tartarugas autóctones em 10 zonas húmidas de Espanha e Portugal, e; - Organização de um seminário internacional sobre o controlo de fauna exótica invasora em zonas húmidas.


Duração do Projecto:
3 anos

Data de início: 01/01/2011
Data de fim: 31/12/2013


Área de actuação em Portugal:

As capturas de animais serão realizadas em 4 lagoas de Loulé: Lagoa do Garão, Lagoa de São Lourenço, Lagoa das Dunas Douradas e Lagoa da Quinta do Lago Sul. Os cágados capturados serão encaminhados para o RIAS em Olhão e para o Parque Biológico de Gaia.


Principais Acções da ALDEIA / RIAS:

As acções do RIAS neste projecto consistirão na gestão dos cágados exóticos capturados, controlo epidemiológico dos cágados exóticos e reprodução em cativeiro de cágado-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis) para posterior reintrodução no meio natural.


Legislação:

Este projecto tem como base legal nacional o Decreto-Lei nº 565/99 de 21 de Dezembro que regula a introdução na natureza de espécies não indígenas da flora e fauna, proíbe a criação ou detenção em local confinado e a utilização como animal de companhia da espécie Trachemys scripta, sendo neste aspecto mais restritivo do que os regulamentos comunitários (Regulamento da Comissão nº 2551/97/CE e Regulamento (CE) nº 349/2003 da Comissão.

Pode descarregar o Decreto-Lei nº 565/99 aqui.


Contactos LIFE+ Trachemys:

Coordenador Geral Valência: lifetrachemys@gva.es
Coordenador Portugal: José Teixeira (CIBIO-UP): jteixeira@mail.icav.up.pt
Coordenador do trabalho de campo: Bruno Herlander Martins (CIBIO-UP): bruno_herlander@hotmail.com
ALDEIA/RIAS: Fábia Azevedo: rias.aldeia@gmail.com
Parque Biológico de Gaia: Ana Alves: ana@parquebiologico.pt

 
Site Oficial do Projecto: