O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Libertação: 31 de Agosto de 2011

Devolução à natureza de 1 sapo-comum (Bufo bufo)
Quinta de Marim, Olhão


No dia 21 de Agosto foi entregue no RIAS um sapo-comum, recolhido por um particular em Quarteira, com suspeita de ter sido alvo de predação.

Face aos sinais clínicos que apresentava (laceração cutêanea no dorso), o plano de recuperação consistiu em limpeza da zona lesionada com Betadine e aplicação de um creme antibacteriano tópico.

Após se verificar a total recuperação da zona lesionada, os técnicos e voluntários do RIAS procederam à libertação do sapo na Quinta de Marim baptizando-o de "Flor".

O ingresso de anfíbios no RIAS têm sido raros, sendo este apenas o segundo anfíbio que ingressou vivo no centro, este ano. A experiência ao nível do maneio e tratamento de anfíbios é ainda muito reduzida, no entanto, torna-se cada vez mais necessária, dada a maior sensibilização das pessoas, que cada vez mais tentam colaborar na recuperação de animais selvagens protegidos, independentemente do tipo de espécie. Os anfíbios são dos grupos mais ameaçados a nível mundial, pelo que os centros de recuperação devem também desempenhar um papel activo na sensibilização para as ameaças e problemas de conservação destes animais.

Pode consultar mais informações sobre este grupo de animais em http://anfibioserepteis.blogspot.com/



3 comentários:

Kamikaze (L.P.) disse...

É o ""nosso" sapo! Viva viva!
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=101894269916895&set=a.101366273303028.1301.100002889663645&type=1

Sara Palhinha disse...

O sapo foi recolhido por mim em Vilamoura e não em Quarteira. Quando o encontrámos, a ferida que tinha nas costas estava cheia de larvas! Fiquei muito feliz de o ver a voltar à sua vida de boa saúde. Obrigada à equipada do RIAS. Num país em que já nos habituámos a que tudo funcione mal à indiferença das pessoas, vocês fazem toda a diferença. Os meus parabéns pelo vosso empenho e dedicação.

Sara Palhinha

RIAS disse...

Olá Sara,
Muito obrigado pelo comentário! Como Vilamoura não é freguesia, na nossa base de dados apontamos como Quarteira, mas não é grave :) Obrigado pelo esclarecimento! Até breve!!