O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Libertação: 14 de Agosto de 2011

Devolução à natureza de 1 grifo (Gyps fulvus) e 1 bufo-real (Bubo bubo)
Mértola


No dia 29 de Outubro de 2010 foi recolhido em Mértola por vigilantes do Parque Natural do Vale do Guadiana, e entregue no RIAS, um grifo, vítima de cativeiro ilegal.

Ao chegar ao centro, apesar de se encontrar numa boa condição física, verificou-se que o animal apresentava as penas de voo e bico cortados. Perante este difícil cenário, a equipa veterinária concluiu que para recuperar a ave seria necessário: afiar o bico, para que durante a alimentação a ave possa retirar a carne dos animais mortos; esperar pelo desenvolvimento das penas em falta, para poder voar, o que obrigaria o animal a ficar no centro pelo menos um ano. Por fim seria necessário verificar o comportamento do animal após a sua recuperação.



Cerca de um mês depois de ter dado entrada no centro, procedeu-se ao afiamento do bico (ver imagem) e verificou-se que o animal conseguia alimentar-se naturalmente.



Contudo, o processo de recuperação das penas cortadas foi muito mais longo, durando cerca de um ano até à sua total substituição.

Após se verificar a substituição das penas e a restituição da sua capacidade natural de voar e alimentar, os técnicos do RIAS procederam à sua libertação em Alcaria Ruiva, no concelho de Mértola.





Mais uma vez voltamos a referir que o cativeiro de animais selvagens que ocorram naturalmente em Portugal é ilegal. Podes obter mais informações aqui.


No dia 10 de Maio deu entrada no centro uma cria de bufo-real após ter sido recolhida por vigilantes do Parque Natural do Vale do Guadiana, vítima de queda do ninho.

Uma vez que não apresentava nenhum tipo de lesões, a sua recuperação consistiu em alimentação regular e, após o desenvolvimento das penas, treinos de voo e caça.

Após apresentar todas as condições, os técnicos do centro procederam à sua libertação. Esta devolução foi antecedida de uma pequena palestra no lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Mértola e contou com a presença não só dos padrinhos do animal como também da utente mais idosa do lar, a centenária D. Bárbara.










 

Sem comentários: