O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Libertações: 20 de Agosto de 2010


Libertação de 3 cegonhas-brancas (Ciconia ciconia) e um mocho-galego (Athene noctua)


18h00 - Mexilhoeira Grande, Portimão
Sede da Associação "A Rocha - Associação Cristã de Estudo e Defesa do Ambiente" - Cruzinha, Mexilhoeira Grande

Estas 3 aves juvenis foram recolhidas após terem caído do ninho. Foram entregues no RIAS por elementos do SEPNA e Vigilantes da Natureza. O processo de recuperação consistiu em alimentação, crescimento da plumagem de voo, contacto com outras cegonhas e treinos de voo.

O mocho-galego, adulto, foi recolhido em Portimão por um particular. Estava junto de uma estrada pelo que se supõe que terá sido atropelado. Apresentava algum sangue na cavidade oral e encontrava-se muito deprimido. O processo de recuperação consistiu em tratamento da lesão, alimentação, contacto com outros mochos e treinos de voo e caça.


Esta acção foi desenvolvida em colaboração com a associação "A Rocha" e contou com a presença de cerca de 10 pessoas. As cegonhas foram baptizadas de Leila, João e Beatriz e o mocho de Ria.



Libertação de uma coruja-do-mato (Strix aluco)

20h00 - Paderne, Albufeira

Esta ave foi recolhida em Paderne, ainda cria, por um particular. Foi entregue no RIAS pela equipa SEPNA de Albufeira. Encontrava-se um pouco debilitada e apresentava microftalmia no olho esquerdo, uma anomalia congénita que leva a que o olho seja um pouco mais pequeno do que o normal. O processo de recuperação consistiu alimentação, crescimento da plumagem de voo, contacto com outra coruja e treinos de voo e caça.
Apesar do problema no olho ser permanente, este não impede, de modo algum, a ave de voar e caçar correctamente, já que estes animais usam principalmente a audição para estas actividades, pelo que foi prontamente devolvida ao seu meio natural.

A acção foi realizada na presença da responsável pela recolha da ave, e familiares, que devolveram a ave à natureza e a baptizaram de Lucas.



A coordenação do Departamento de Educação Ambiental e Divulgação do RIAS agradece imenso a colaboração nestas acções dos voluntários Thijs e Valter e felicita-os pelo sucesso destas libertações!

Sem comentários: