O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Libertações: 27 de Julho de 2010

Libertação de 2 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e de uma cegonha-branca (Ciconia ciconia)

10:00 - Quinta de Marim - Olhão


Uma das gaivotas foi recolhida na Praia de Alvor e entregue no RIAS pela equipa SEPNA de Portimão e encontrava-se bastante debilitada e desnutrida, tendo o processo de recuperação consistido em hidratação, alimentação adequada, treinos de voo e contacto com outros indivíduos da mesma espécie. A outra gaivota ingressou no RIAS ainda cria, após ter sido recolhida por um particular em Lagos e entregue no centro pelo SEPNA de Portimão. O processo de recuperação consistiu em alimentação adequada, crescimento da plumagem de voo, treinos de voo e contacto com outros indivíduos da mesma espécie.
As aves foram baptizadas de "Marina" e "Bernardette".
A cegonha-branca encontrava-se também bastante debilitada e desidratada quando ingressou no RIAS, após ter caído do ninho. Foi recolhida em Olhão pela equipa do SEPNA de Faro. O seu processo de recuperação consistiu em hidratação e alimentação adequada, contacto com outras aves da mesma espécie e treinos de voo.
A ave foi baptizada de "Romeira".

Esta acção contou com a presença de cerca de 15 crianças e professores do Colégio Bernardette Romeira, elementos do SEPNA de Faro e técnicos do RIAS.
Libertação de um Mocho-galego (
Athene noctua)
20h00 - Quelfes, OlhãoPonto de encontro: Sede do Grupo Etnográfico de Quelfes (Sítio da Igreja).
Este pequeno mocho, um juvenil, foi recolhido e entregue no RIAS por um particular, após ter caído do ninho. O processo de recuperação consistiu em alimentação, crescimento da plumagem de voo, treinos de voo e caça e contacto com outros mochos-galegos.

Fotos de Valter Teixeira
Esta acção foi desenvolvida em colaboração com o Grupo Etnográfico de Quelfes e contou com a presença de cerca de 40 membros deste grupo e do Grupo de Folclore de Água da Pena - Madeira. A ave foi baptizada de "Quelfes".

Sem comentários: