Mensagens

As crias de ouriço e gineta que recebemos em Dezembro

Imagem
Em Dezembro ingressaram no RIAS várias crias de ouriços (Erinaceus europaeus). Ainda dependentes de progenitores, certamente não conseguiriam sobreviver sozinhos. 
Foram então colocados num ambiente acolhedor e aquecido, e fornecido alimento adequado às suas necessidades (vídeo abaixo).



Atualmente já se encontram a comer alimento sólido e diversificado (com insetos e fruta), tal como fariam em liberdade. Irão agora continuar a crescer e ganhar forças para que estejam na condição física que consideramos adequada para a sua devolução à Natureza.

No mesmomês recebemos uma gineta (Genetta genetta), também ela uma cria debilitada. 

Depois de alguns dias numa câmara de recuperação para estar debaixo do olhar atento da equipa veterinária, foi transferida para as instalações exteriores de mamíferos.
Tal como os ouriços, precisará de tempo para crescer, e só nessa altura poderá ser devolvida à Natureza.




Recebemos centenas de artigos doados pela Agroviseu

Esta semana, o RIAS recebeu um fantástico donativo de material veterinário da parte da Agroviseu. Desde seringas e agulhas, a medicação como anti-parasitários e antibióticos. 

Este material é necessário no dia-a-dia do nosso centro, e por isso, foi uma excelente contribuição para o nosso trabalho, e para o bem-estar dos animais em recuperação.

Um enorme obrigada por esta ajuda.





Peneireiro-vulgar ingressou no RIAS por cativeiro ilegal

No início de Novembro, ingressou no RIAS um peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus), proveniente de cativeiro ilegal!

Resultado de uma dieta desequilibrada que causa um mau desenvolvimento dos ossos, esta ave apresentava uma fratura no tibio-tarso da pata direita. Posto isto, foi necessário recorrer a cirurgia, tendo sido colocadas cavilhas para unir os ossos e ajudar na sua correção.


A juntar a isto, e muito comum em casos de cativeiro de aves, as penas primárias da asa direita estavam cortadas, com o propósito de impedir a ave de voar. 

Na imagem em baixo (esquerda) é possível ver em pormenor a asa e a pata (após remoção das cavilhas) do falcão em questão. Para comparação, à direita vê-se um outro peneireiro-vulgar no momento da sua devolução à Natureza.



Nunca é demais relembrar que manter animais selvagens em cativeiro é ilegal. Sejam eles um falcão, coruja, camaleão, ouriço ou mesmo um cágado.