Mensagens

Esta semana recebemos o novo diretor do PNRF e o diretor do IPDJ, e libertámos uma coruja-das-torres

Imagem
Esta semana o novo diretor do Parque Natural da Ria Formosa veio conhecer o RIAS. Conhecer o dia-a-dia do trabalho neste centro é muito importante para que possamos coordenar esforços pelo bem-estar dos animais.


Também nesta visita, recebemos o diretor regional do Instituto Português do Desporto e da Juventude. Veio conhecer as voluntárias que trabalham no RIAS através do projeto Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas, e trazer-lhes alguns materiais que poderão ser úteis nas atividades que desempenham diariamente.


Durante esta semana, foi também altura de devolver à Natureza uma coruja-das-torres (Tyto alba) juvenil, que chegou ao RIAS debilitada. Ainda juvenil e sem voar, não conseguia alimentar-se. Precisou aprender a voar e a caçar antes de poder regressar à natureza.




Sábado Livre para devolver à Natureza uma cegonha juvenil e dois mochos-galegos

Atualmente, o RIAS tem recebido imensas crias/juvenis de aves, desde os mais pequenos como as andorinhas e pardais, a espécies maiores como cegonhas.

No fim-de-semana passado foi altura de devolver à Natureza mais um juvenil de cegonha-branca (Ciconia ciconia) recuperado.


Para isso contámos com a ajuda destes dois corajosos irmãos, que são presença assídua na maioria dos nossos eventos.



Foram ainda devolvidos dois mochos-galegos (Athene noctua) que ingressaram no RIAS há cerca de um mês com sinais de trauma. 

Esta espécie, apesar de noturna, tem hábitos parcialmente diurnos, podendo então ser observada durante o dia.





Esta semana o RIAS contou com a ajuda de várias pessoas e de um ATL para devolver animais à Natureza

Terça-feira foi dia para voltar a libertar na Natureza um andorinhão-preto (Apus apus). Esta espécie alimenta-se a voar, e dorme a voar. Por esta razão, não depende tanto do solo, e as suas curtas patas demonstram isso. Uma vez no chão, não têm capacidade para levantar voo.

Por esta razão, quem o encontrou, trouxe a pequena ave até nós. Após uma curta estadia, foi então devolvido ao seu habitat.



Se quiser descobrir mais curiosidade sobre andorinhões, visite esta página da Wilder: https://www.wilder.pt/seja-um-naturalista/conheca-as-tres-especies-de-andorinhoes-de-portugal/


Ainda neste dia, a equipa do RIAS foi até ao Epic Sana Algarve. Com cerca de 40 hóspedes, devolvemos à Natureza dois peneireiros-vulgares (Falco tinnunculus). Sem a presença dos progenitores, a sobrevivência destes juvenis estava em causa, e por esta razão, foram trazidos até ao nosso centro.




A meio da semana regressaram à Natureza três mochos-galego (Athene noctua). Estas aves ingressaram no RIAS com sinais de trauma, causados possivelmente pelo embate com alguma estrutura (carro, poste, casas, etc) há cerca de um mês. Agora a voar e a caçar, conseguirão sobreviver sozinhos.

Estas três corajosas crianças tiveram o privilégio de ajudar neste momento.







Quinta-feira foi um dia em cheio! Para além da libertação de 3 corujas-do-mato (partilhado no nosso facebook e instagram), recebemos um grupo de ATL da escola da Cavalinha para visitar o nosso Centro de Interpretação Ambiental.

Aqui, aprenderam que as espécies de gaivotas mais comuns nas praias portuguesas são a gaivota-de-patas-amarelas e gaivota-d'asa-escura. Sabendo agora quais as diferenças, esperamos que na próxima ida à praia, desafiem os pais a identificá-las. 

Chegados à zona da exposição de rapinas, o fascínio tomou conta da visita. O silêncio das asas de coruja, o tamanho da asa e esqueleto de um grifo ou mesmo as garras afiadas de um bufo-real fez as delícias destas crianças.


No final, ainda nos ajudaram a devolver um peneireiro-vulgar à Natureza.


Obrigada pela vossa visita e simpatia.