Mensagens

Nesta altura difícil, continuamos a cuidar dos animais...

Imagem
Perante a situação atual relacionada com o COVID-19, é-nos aconselhado permanecer em casa, em isolamento social, sempre que possível. 
No entanto, é necessário haver alguém nas instalações do centro para dar aos animais todos os cuidados que precisam. Para garantir que há colaboradores aptos a substituir, caso seja necessário, parte da equipa do RIAS está neste momento em teletrabalho, a cumprir o isolamento social recomendado pelas autoridades.
Desta forma, se encontrar um animal selvagem ferido ou a precisar de ajuda, e tiver disponibilidade, poderá trazê-lo até nós ou contactar as autoridades responsáveis pela recolha. 

Caso não possa auxiliar o animal, pode ligar para o ICNF mais próximo (Olhão: 289 700 210; Lagos: 282 402 320; Castro Marim: 281 531 257), ou para o Departamento de Ambiente da GNR (808 200 520) que está disponível 24h por dia.  

Queremos ainda relembrar-vos que obtenham informação sempre de fontes fiáveis, como é o caso da Direção Geral de Saúde e a Organização Mundia…

Clipping Março 2020





Sul Informação, 5 de Março de 2020

Associação Portuguesa de Falcoaria

Algarve Daily News, 6 de Março de 2020

National Geographic, 10 de Março de 2020
 


Se tiver conhecimento de outras ocorrências do RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens na comunicação social, por favor informe-nos para rias.aldeia@gmail.com.

Cobra de ferradura devolvida à Natureza após ter sido resgatada de uma vedação

Como centro de animais selvagens, o RIAS pode receber qualquer espécie selvagem da fauna portuguesa. Sejam aves, mamíferos anfíbios ou répteis.

No ano passado, ingressaram 102 animais pertencentes a este último grupo. Tartarugas, lagartixas e camaleões, mas também serpentes.

Este ano já recebemos quatro serpentes.

A mais recente, uma cobra de ferradura (Hemorrhois hippocrepis), ingressou no dia 10 de Março, após ter sido encontrada presa numa vedação.  Contactado o ICNF em Olhão (289 700 210), o réptil foi então recolhido e transportado até ao RIAS.

Após a realização do exame físico, verificou-se que tinha apenas um pequeno corte por abrasão.


Sem necessidade de ficar sob vigilância, foi devolvida à Natureza no mesmo dia.

 

Esta espécie pode ser encontrada numa grande diversidade de habitats secos e rochosos, onde procuram abrigo, mas também alimento, que inclui micromamíferos, répteis e aves que caçam activamente.